Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 16 de agosto de 2022

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/08/2022
SESC AGOSTO 2022

Indústrias do Alto Tietê discutem Lei Geral de Proteção de Dados

Reunião foi promovida pelo Conselho Diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) Alto Tietê

Por Da Região30 JUN 2022 - 14h09
Reunião foi promovida pelo CiespFoto: Divulgação/Ciesp Alto Tietê

O impacto da Lei Geral de Proteção aos Dados (LGPD) nas empresas da Região foi destaque na reunião do Conselho Diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) Alto Tietê. O encontro, realizado nesta quarta-feira (29), contou com a presença de diversos empresários do setor.

Em vigor desde 2020, a LGPD passou a aplicar sanções em 2021. “Essa é a primeira reunião do Conselho Diretor realizada de maneira presencial, desde o início da pandemia. A ideia é promover diversas palestras para nossos empresários. Nossa abertura será com a LGPD, uma legislação muito importante para as empresas. Alinhado a isso, a Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) em parceria com o Ciesp, está lançando uma cartilha sobre o assunto, que vamos divulgar para nossos associados”, ressaltou o diretor do Ciesp Alto Tietê, José Francisco Caseiro.

Segundo o advogado especialista em Direito Digital e Implementação da LGPD em empresas públicas e privadas, Luiz Eduardo da Silva, atualmente, menos de 19% das organizações públicas e privadas do Brasil se adequaram a LGPD. “Essa lei vem com uma função de regular a privacidade e a segurança da informação. Isso significa que é preciso adequar algumas regras dentro das empresas. É necessário estar de acordo com a legislação que o mundo cria hoje em relação ao tratamento de dados, pois estamos conectados”, orientou.

Silva apontou ainda, que muitas multinacionais têm exigido essa regularização das empresas fornecedoras. A mesma postura vem sendo adotada pelo poder público. “O principal disso tudo é fazer com que em um segundo momento você se sinta protegido. Essa é a maior finalidade, não correr o risco de ter seus dados vazados ou que incidentes formalizem uma situação que vai trazer dores de cabeça em qualquer setor, seja público ou privado”, analisou.

O fundador e Ceo da Opentech - empresa de gestão e segurança da informação - Rinaldo Scampini, também falou sobre a importância de adequar o ambiente virtual das empresas às regras da LGPD. “Essa é uma lei, e as empresas precisam cumpri-las. Temos dois aspectos, o primeiro são as pessoas, que é um direito delas ter essa proteção, e o segundo é o mercado, que vai exigir essa adequação”, destacou.

Investimento

Durante a reunião, o diretor do Sesi Mogi, Carlos Frederico D’avila de Brito, apresentou as ações que estão sendo desenvolvidas pelo serviço, incluindo o Programa Emergencial de Educação Pós-pandemia “Recompondo Saberes”. A cooperação técnica entre a entidade e municípios, tem o objetivo de capacitar professores da rede pública para uma atuação personalizada junto aos alunos que apresentam dificuldade de aprendizagem decorrente da pandemia. A ação deverá beneficiar as cidades da Região.

O diretor do Senai Mogi, Itamar Cruz, divulgou a Jornada de Transformação Digital, uma parceria entre a instituição, a FIESP e o Sebrae, que oferecerá consultoria e treinamento para micro, pequenas e médias indústrias. Outra novidade anunciada foi a integração entre o SENAI e o SESI para fornecer cursos profissionalizantes para os alunos incluídos no Novo Ensino Médio.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias