Envie seu vídeo(11) 4745-6900
terça 13 de abril de 2021

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 11/04/2021
Magic City
São Paulo Secretaria da Educação
GrupoIndy
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
CENTRO MÉDICO
Cidades

Itaquá inaugura Central de Atendimento Covid-19 nesta quinta-feira

Hospital de campanha opera nas instalações onde seria o Centro de Saúde Infantil (CSI)

Por de Itaquá25 FEV 2021 - 16h00
Itaquá inaugura Central de Atendimento Covid-19 nesta quinta-feiraFoto: Millena Matos/Divulgação

Começou a funcionar nesta quinta-feira (25), a Central de Atendimento Covid-19, em Itaquaquecetuba, para ampliar a assistência à população infectada no município. O hospital de campanha opera nas instalações onde seria o Centro de Saúde Infantil (CSI), que não chegou a ser inaugurado pela gestão anterior, na rua João Vagnotti, 37, região central da cidade.

O valor investido foi de aproximadamente R$ 600 mil, já previsto no orçamento da Santa Casa de Misericórdia de Birigui, empresa terceirizada que fazia a gestão da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h, no Jardim Caiuby, e do Centro de Saúde (CS) 24h, na região central. Mas a inauguração da Central da Covid-19 só foi possível graças à intervenção da prefeitura na administração dessas unidades de saúde. Parte dos equipamentos já haviam sido comprados e a outra parte foi comprada este ano.

Logo na entrada, ainda na parte externa, há uma cobertura com bancos que funciona como uma área de espera para pré-triagem, pensada para que pessoas apenas com suspeita fiquem em um ambiente mais arejado. Depois, o paciente é encaminhado para a recepção onde fará a ficha e será levado para a triagem. A unidade funcionará 24h.

São 17 leitos, sendo três de estabilização, dois de isolamento e 12 de enfermaria, um tomógrafo computadorizado para detectar o grau de comprometimento pulmonar causado pelo vírus, sala de emergência, de medicação, farmácia e dois consultórios com equipamentos de informática. O telhado foi reformado para conter as infiltrações que haviam.

"Não é motivo de felicidade inaugurarmos um equipamento de saúde para tratar de vírus, mas é a única forma que nós temos de cuidar das pessoas. Fomos eleitos para isso. Nossa felicidade é poder dar a toda a cidade de Itaquaquecetuba a possibilidade de tratamento e de atendimento em enfermaria e emergência, se houver necessidade", ressaltou o prefeito Eduardo Boigues.

A sala de emergência possui três leitos de estabilização com respiradores, monitores multiparâmetro de sinais vitais, bombas de infusão, desfibrilador, além de medicamentos e insumos como seringas e agulhas. "Por ser uma ala de emergência, há uma porta de entrada pela rua para que o paciente em estado grave entre direto por ela sem colocar em risco os demais pacientes e funcionários, e para agilizar o atendimento", explicou Edson Rodrigues, secretário de Saúde.

Há também uma sala de medicação para pacientes que não precisarão ser internados e estão com sintomas leves, com seis poltronas, um aparelho de eletrocardiograma e uma cadeira portátil para realização do exame.  

Outras salas somam 12 leitos de enfermaria. "Também foi reservada uma sala com um leito de isolamento contendo respirador e bomba de infusão para pacientes com comorbidades e outra sala com leito de isolamento para crianças", complementa o prefeito.

A sala de serviço social também tem porta de entrada pela rua e foi pensada para que amigos e familiares que queiram informações sobre o estado de saúde de algum paciente não precisem entrar na unidade correndo o risco de serem infectados.

"A farmácia também está equipada com um refrigerador e estoque de medicamentos, assim como foi feita uma sala de enfermagem para preparo da medicação com oxímetro, estetoscópio, termômetro, etc", contou Humberto Yutaka Nakamura, secretário adjunto de Saúde.

Com esse reforço de leitos e atendimento especializado, a Prefeitura de Itaquaquecetuba pretende desafogar o Hospital Santa Marcelina, no Jardim Nova Itaquá, que é estadual, a UPA 24h e o CS 24h, ambos municipais. As três unidades continuarão o atendimento a infectados com Covid-19, funcionando como retaguarda.

"Se tiver com suspeita de Covid-19, mesmo podendo ser atendido na UPA, no CS e no Santa Marcelina, indicamos que venha para a Central da Covid-19, que agora é a nossa unidade de referência", orienta o secretário de Saúde.

Após a pandemia, a estrutura e os equipamentos que estão no local serão usados para o funcionamento do Centro de Saúde Infantil.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias