Envie seu vídeo(11) 97569-1373
domingo 16 de dezembro de 2018

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 15/12/2018
MRV DEZEMBRO - 13º EM DOBRO

Leilão de veículos cresce 31,92% no Alto Tietê com 1,8 mil vendidos

De janeiro a novembro, ao todo, 1.893 carros foram leiloados. Dados não incluem Mogi das Cruzes

Por Marcus Pontes - da Região08 DEZ 2018 - 20h38
Para se ter ideia, 1.893 carros foram vendidos na região, contra 1.425 do ano passadoFoto: Sabrina Silva/Divulgação
O número de carros leiloados este ano por algum tipo de pendência (dívidas, infração de trânsito ou envolvido em crimes) supera a quantidade negociada no mesmo período de 2017. Para se ter ideia, 1.893 carros foram vendidos na região, contra 1.425 do ano passado. As informações são do Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP).
 
E esse aumento é puxado por uma única cidade praticamente. Em Itaquaquecetuba, 1.068 carros foram leiloados, de janeiro a novembro deste ano. O número é o dobro do registrado em 2017, quando 591 veículos foram negociados. 
 
Outra cidade que manteve números elevados de carros leiloados foi Suzano. Nos últimos 11 meses, o município suzanense conseguiu vender 348 automóveis (carros e motos), contra 419 do mesmo período anterior. Ou seja, houve uma redução de 16,95%.
 
Ferraz de Vasconcelos e Poá realizaram o leilão de 256 e 221 veículos, respectivamente. Ao analisar os dados do ano passado, o município poaense sextuplicou o número de carros leiloados, já que, em 2017, foram 33. Já Ferraz manteve a média, com 268 negociações realizadas no período anterior.
Mogi das Cruzes não teve nenhum leilão de janeiro a novembro de 2018. No ano passado, 114 carros foram leiloados.
 
O Detran.SP explica que há certas regras para a poder leiloar algum carro. O órgão estadual de trânsito, por exemplo, é o responsável apenas por veículos removidos pela Polícia Militar, em perímetro urbano, por infrações como racha, manobra perigosa, falta de licenciamento, veículo sem placa ou com placa ilegível. 
 
Em âmbito municipal, as apreensões ocorrerem por estacionamento irregular. Já àqueles removidos em estradas são de responsabilidade dos órgãos que atuam em rodovias, como o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). 
 
Os carros envolvidos em crimes são de competência da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e os veículos com pendências judiciais do Poder Judiciário. 
 
Os leilões são realizados conforme determina a legislação federal. Os veículos removidos por infração às leis de trânsito, podem ir a leilão caso não sejam retirados por seus proprietários em até 60 dias, exceto os que têm pendência judicial, de acordo com a lei federal 13.160, de 2015.
 
Antes de ir a leilão, porém, o dono do veículo é notificado e tem prazo para reaver o bem. A notificação é feita por meio de edital publicado no Diário Oficial do Estado e no portal do Detran.SP (www.detran.sp.gov.br). Passado o prazo legal e não havendo manifestação do responsável, o veículo é relacionado para leilão. 

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias