Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 11 de dezembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 10/12/2019
CENTRO ONCOLÓGICO

Pela 2ª vez no ano, Câmara rejeita contas do prefeito Mamoru Nakashima

De acordo com a Câmara, com essa nova rejeição, o atual prefeito pode ficar inelegível nas próximas eleições

Por de Itaquá30 OUT 2019 - 19h57
Decisão foi dada durante audiência ordináriaFoto: Divulgação
Pela segunda vez este ano, a Câmara Municipal de Itaquaquecetuba seguiu o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP) e rejeitou, ontem, durante sessão ordinária, as contas do prefeito Mamoru Nakashima (PSDB) do ano de 2015. Em abril, as contas de 2014 também foram rejeitadas. 
 
Segundo a assessoria do legislativo itaquaquecetubense, a rejeição das contas de 2014 e 2015, do prefeito Mamoru Nakashima, se deu após o TCE-SP encontrar irregularidades. Ainda de acordo com a Câmara, com essa nova rejeição, o atual prefeito pode ficar inelegível nas próximas eleições. Cabe recurso.
 
A votação ocorreu com a presença de apenas 17 dos 19 vereadores, sendo que nove deles foram contra e oito a favor do parecer do TCE. Mesmo sendo a maioria, o veto à decisão do tribunal não ocorreu, pois era necessário dois terços do total de parlamentares para que isso ocorresse. “Ganharam, mas não levaram”, comentou um vereador que votou a favor do parecer. 
 
Da mesma forma que aconteceu em abril, o prefeito não compareceu à sessão da Câmara ou encaminhou um representante para se defender.
 
CONTRA E A FAVOR
 
Votaram contra a reprovação das contas: Celso Reis (PSDB), Rolgaciano Fernandes (Podemos), Roberto Letrista (PSDB), Roberto Carlos do Nascimento Tito (PSDB), Luiz Otávio da Silva (PTB), Maria Aparecida Monteiro Rodrigues (PL), Arnô Ribeiro Novaes (PSDB), Alexandre de Oliveira Silva (SD) e Aparecida Barbosa da Silva (PTB).
Votaram a favor da reprovação das contas: Adriana Aparecida Felix (PSDB), João Batista Pereira de Souza (PSDB), David Neto (PPS), Edson Rodrigues (Podemos), Armando Neto (Patriota), Santiago (PSD), Valdir Ferreira da Silva (PSD) e Edvando Ferreira de Jesus (PSD). 
 
Os vereadores Cesinha da Associação (Avante) e Elio de Araújo (Avante) não estavam presentes no momento da votação.
 
Em nota, a assessoria de Mamoru Nakashima pontuou que irá recorrer até as últimas instâncias da decisão dada pelo Tribunal de Contas do Estado. Disse também que " nesse sentido a relatório do TCESP é frio, legalista, o que não pode ser diferente, onde já para o gestor existe a 'obrigação de fazer', onde em inúmeras situações emergenciais e prioritárias, não se decide com a legislação debaixo do braço".
 
Também frisou que, no contexto atual da cidade, vivem "os nobre vereadores, sabem e conhecem a realidade do município, suas prioridades e emergências diante de tanta carência e necessidade e estão conscientes de que em muitos casos não há outra alternativa a não ser priorizar o custeio das áreas essenciais para a população".

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias