Envie seu vídeo(11) 97569-1373
terça 15 de outubro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/10/2019
CENTRO ONCOLÓGICO
Secom Segurança
Villa Europa
Região

Quênia e Condemat se reúnem para firmar parceria comercial

Parceria pode trazer investimentos habitacionais e incentivar o crescimento das trocas de mercadorias

Por Fernando Barreto - de Suzano27 SET 2019 - 23h56
Quênia e Condemat se reúnem para firmar parceria comercialFoto: Sabrina Silva/DS
O Consórcio de Desenvolvimento de Municípios do Alto Tietê (Condemat) e o país africano, Quênia, se reuniram para firmar parceria comercial que pode trazer investimentos habitacionais e comerciais ao Alto Tietê. O acordo ainda não foi oficializado, mas o país africado enviou o embaixador Isaac Oschieng, que contou sobre o País e os resultados da parceria.
 
O encontro ocorreu na Prefeitura de Mogi das Cruzes, e contou com a presença de prefeitos da região.
 
O presidente do Condemat e prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi, enalteceu a parceria entre o consórcio e o país africano. Ele lembra o acordo que o Condemat tem com a China e a visita realizada na região pelo cônsul do Egito. Ashiuchi também afirmou que o consórcio não pode olhar apenas para os grandes centros.
 
"Geralmente visamos outros centros comerciais, como o Japão e Estados Unidos. Hoje, o Condemat estende um braço importante com o continente africano, que pode resultar em trocas econômicas e culturais", disse Ashiuchi.
 
Marcus Melo, prefeito de Mogi das Cruzes, disse que a parceria entre o consórcio e o Quênia abre muitas possibilidades para a região. "É um primeiro passo para a transferência de experiências com o país africano. Vai permitir o intercâmbio comercial e cultural entre o Alto Tietê e a África".
 
Para o embaixador do Quênia a parceria viria para ajudar o país africano nos déficits habitacionais e agrícolas que eles possuem.
 
“Nós elaboramos um plano de construção de moradias de baixo custo e precisamos de ajuda para a construção. Podemos até mesmo compartilhar esses projetos”, explicou Isaac.
 
Ele completa dizendo que o Quênia possui um déficit na produção de açúcar e o Brasil pode ajudar nessa questão. “O Quênia possui um déficit de 40% na produção de açúcar. Temos condições para produzir, o que falta é cooperação agrícola, e vemos no Brasil essa ajuda".
 
Com a presença do tradutor Ricardo, Isaac contou sobre a história do Quênia e o que o País tem a oferecer.
Quênia está localizado no leste africano e possui uma população de 47 milhões de habitantes. 
 
O País faz parte do Comesa, sigla em inglês que significa Mercado Comum da África Oriental e Austral. O Comesa possui 21 países credenciados e um mercado populacional de 560 milhões de pessoas. 
 
Isaac afirma que, o que for comercializado pelo Brasil com o Quênia será compatilhado com o Comesa.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias