Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 22 de julho de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/07/2019
PMMC FÉRIAS
PMMC AGASALHO
Centerplex Rei Leão
PMMC ORQUIDEAS
PMMC INVERNO

Região adota medidas de economia de água e vai debater crise hídrica

23 AGO 2015 - 08h00

As prefeituras do Alto Tietê adotaram diversas medidas para tentar driblar a crise hídrica. Entre elas, coleta de água da chuva e instalação de redutor de pressão nas torneiras de prédios públicos. Além disso, algumas administrações devem debater o tema por meio do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), da Fundação Agência de Bacia Hidrográfica do Alto Tietê (Fabhat) e Conselho Municipal de Meio Ambiente (CMMA).

De acordo com a Prefeitura de Arujá, desde o início do ano, a administração trabalha a conscientização do cidadão para que casos de desperdício sejam evitados. Uma das ações é a campanha de divulgação das práticas de economia de água, iniciada em março. "O objetivo é que a mensagem da importância da redução do consumo atinja desde o público infantil até o adulto". Para isso, foram produzidos materiais informativos já entregues nas escolas, repartições públicas e locais de grande concentração. Um comitê também foi criado para tratar do assunto e debater o tema nas escolas municipais.

A Secretaria do Verde e Meio Ambiente de Ferraz de Vasconcelos afirma que segue criteriosamente o Programa Município Verde e Azul, onde medidas de proteção das nascentes e uso racional de água são desenvolvidas. A pasta também criou um programa de racionalização do uso da água. Aplicado nos prédios públicos, a ação visa sensibilizar os servidores. "Em parceria com a Sabesp, foram distribuídos panfletos. Com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), foram disponibilizados mil redutores de vazão de água, que foram fixados na Prefeitura. Com isso é previsto redução de 50% do consumo de água. O próximo passo é aplicar os redutores nas escolas municipais, Unidades Básicas de Saúde (UBS) e demais equipamentos".

Programas de educação ambiental nas escolas do município, também vigoram. O próximo passo de racionalização é um debate nas indústrias da cidade, e um diálogo junto ao Estado para recuperar as nascentes e saneamento básico. Além disso, o prefeito Acir Filló (PSDB), deve propor debates junto ao Condemat e Fabhat, com ações participativas da sociedade civil.

Guararema também participa do Programa Município Verde e Azul e deve debater o assunto no CMMA. A administração realiza ainda, quinzenalmente, palestras de conscientização para economia de água e consumo consciente. Durante a ação são abordados temas como a importância dos recursos hídricos, bem como o que fazer para aumentar a economia de água durante o trabalho. "Indicamos o uso de baldes para limpeza, rega das plantas em jardins e praças em horários no qual o sol é menos forte e atenção a vazamentos de água".

Segundo o secretário de Meio Ambiente de Poá, José Edilson Marques Dias, serão distribuídos aos órgãos públicos redutores de pressão de água. Além disso, o Meio Ambiente e a pasta de Obras estudam a execução de projeto técnico para reservar água em residências.

"No Paço Municipal está sendo instalado um coletor de água de chuva. Também existe uma cartilha de educação sobre o uso racional da água. Como medidas emergenciais poderão ser furados poços artesianos para abastecer hospitais e creches".

Itaquaquecetuba destaca que desde o começo do ano faz um trabalho de conscientização para redução do consumo de águas. A Prefeitura atenta que vai aguardar uma posição oficial do Estado para se pronunciar sobre outras medidas.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias