Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 30 de setembro de 2020

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 30/09/2020
CENTRO MÉDICO CLUBE DS - TOPO
SOUZA ARAUJO
ÚNICCO POÁ
Pmmc Sarampo

Técnicos apresentam projeto do corredor metropolitano a prefeitos

16 ABR 2016 - 08h00

 Técnicos da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) e da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa) apresentaram ontem, na Câmara Municipal de Arujá, o projeto do BRT Metropolitano Alto Tietê ao prefeito de Poá, Marcos Borges (PPS); prefeito em exercício de Ferraz de Vasconcelos, José Izidro Neto (PMDB); e o de Arujá, Abel Larini (PR). Outra reunião para discutir os próximos passos do corredor deverá ocorrer em Ferraz .

O BRT Metropolitano Alto Tietê está em fase de projeto há 20 meses e, quando ficar pronto, demandará entre 46 a 48 meses para que a obra seja executada por completo.

O projeto prevê um corredor de ônibus passando pelas cidades de Arujá, Poá, Itaquá e Ferraz. O projeto básico será concluído neste ano e o executivo, em 2017. O empreendimento envolve recursos da ordem de R$ 646,5 milhões (R$ 404 milhões em obras e R$ 239,25 milhões em desapropriações). Cerca de 80 mil passageiros por dia devem ser beneficiados.

"Vamos fazer com que a cidade de Ferraz também entre na rota de discussões deste importante projeto que vai mudar a região", afirmou o prefeito Izidro. O próximo encontro técnico ainda não tem data para ocorrer.

Borges ressaltou a importância do projeto, "É uma obra importante, que muda a realidade daquela região, principalmente na Cidade Kemel, que é divisa de Poá, Ferraz e Itaquaquecetuba. Dando outra dinâmica no local, embora causando um impacto inicial, mas que será superado e compensado com o progresso e desenvolvimento que chegará até estas cidades com este empreendimento".

Durante a apresentação feita aos vereadores, prefeitos e técnicos da área foram apresentadas imagens do corredor metropolitano, dos impactos causados, o trajeto e um estudo do que falta nas áreas em que ele irá passar. Rovena Negreiros, da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa), chamou a atenção para o fato de as prefeituras viabilizarem o corredor metropolitano buscando atrativos de serviços urbanos e sociais ao longo da linha do BRT.

"Quanto mais disperso fica mais caro para as prefeituras levarem transporte para aquela população", disse. Ela mostrou dados estatísticos que revelam que 81% dos deslocamentos ocorrem de forma interna na região e que as taxas de empregos estão mais concentradas entre Guarulhos e Mogi.

No trecho 1 de implantação do BRT, que abrange Ferraz, Poá e Itaquá, serão nove quilômetros de implantação em áreas remanescentes e carentes.

O projeto prevê a construção de terminais em Arujá e Ferraz, a readequação do Terminal Cidade Kemel, em Poá; a construção das estações de transferência Estrada do Corredor e Monte Belo e 26 estações de embarque e desembarque. Está previsto no projeto ainda a construção de um viaduto em Arujá e outro em Ferraz de Vasconcelos.

Segundo a EMTU, o BRT Alto Tietê estará conectado às linhas 11- Coral e 12 - Safira da CPTM, além do futuro Corredor Metropolitano Leste (entre Mogi e São Paulo).

O corredor metropolitano terá cerca de 20 quilômetros de extensão e atenderá as cidades de Arujá, Poá, Itaquaquecetuba e Ferraz de Vasconcelos. Com o corredor metropolitano, a previsão é que as viagens sejam mais rápidas com a redução estimada no tempo de viagem de cerca de 25% ou 20 minutos aproximadamente.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias