Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 13 de Dezembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 12/12/2017
mrv

Social - 02/08/2015

16 AGO 2015 - 08h01
* entrevista Glauber Candido

Como a dança entrou na sua vida? Glauber Candido - Quando pequeno, estudei no Tatuapé na escola “Lar Sírio Pró-Infância” e lá, fazia uma dança folclórica árabe que se chama Dabke. No colegial e faculdade, fiquei afastado da dança por conta justamente dos estudos. Em 2014 ao conhecer o bailarino Ariel Corrêa, hoje meu atual noivo, que leva a dança como profissão, voltei a esse mundo por hobby aprendendo modalidades diferentes da qual eu fazia.

Teve apoio em casa, uma vez que o mundo da dança ainda é discriminado? Glauber - Meus pais sempre iam me prestigiar em peças de teatro e apresentações de fim de ano na escola quando eu era mais novo. Como é de costume e criação o homem ser mais sério e a mulher mais sensível, minha mãe sempre se emocionava. Acredito que o preconceito e a discriminação existem de diversas formas em diversas áreas e vertentes e não só na dança. Hoje, ganhei o respeito de muita gente que dizia que a dança não dava futuro. E o designer? Como surgiu? Glauber - Desde criança minha mãe sempre dizia: “você adora inventar moda menino”, porque sempre fui criativo. As matérias prediletas na escola eram sempre as de recreação, como educação física e artes. Tive o melhor incentivo desde pequeno com passeios da escola para lugares culturais como teatro, óperas, circos, cinema, parques e museus. Fiz parte de muitos projetos voltados para dança, teatro, biscuit, velas, pintura, maquiagem artística, flauta doce e canto. Creio que esse dom esteve comigo desde sempre. Meu pai me sugeriu o curso de designer gráfico. No início eu ficava perdido me perguntando se era aquilo mesmo que eu queria, mas no fim soube que meu pai estava mais do que certo, era isso que eu queria ser, um designer. “Né pai? ” Você fez um projeto voluntário para um canal do Youtube e ganhou reconhecimento, como foi? Glauber - Existe um canal homossexual no Youtube chamado “Chá dos 5” onde um amigo meu é muito fã e queria presentear os quatro meninos do canal (Tiago Castro Marinho, Marcell Figueiras, Rafael Sanches Lopes e Renato Plotegher Junior). Teve a ideia de dar um desenho digital (igual caricatura) para cada um deles e acabei doando minha arte como presente. Os desenhos bombaram de visualizações na rede social Facebook e Instagram e, um “olheiro” (diretor da comissão da diversidade sexual e de gênero OAB Jabaquara e Saúde, Marcelo Martins Ximenez Gallego) gostou dos meus desenhos e articulava um livro de colorir, antiestresse que a OAB queria lançar juntamente com a 116ª Subseção - Jabaquara/ Saúde Comissão da Diversidade Sexual e de Gênero também queria homenagear a O Boticário e almapBBDO como “Empresa amiga da Diversidade”. O evento ocorreu na sede do Jabaquara no dia 24/07 teve a presença de Marcelo Martins Ximenez Gallego, Aretuza Lovi do Instagram “@Ezatamentchy”, Thammy Miranda e, contou com a apresentadora Tchaka (rainha das festas) entre outros.

Qual o seu estilo de dança preferido? Glauber - Me encanto pela cultura árabe e suas danças folclóricas. Me identifico muito com a dança contemporânea, mas, é no ballet clássico que eu me sinto mais presente dentro da sala de aula. Me traz tranquilidade e desejo de viver, me ajuda fisicamente e mentalmente.  Além de me proporcionar uma ótima postura, aprendi a respeitar mais o próximo, e, me sinto feliz a cada movimento que faço. Me esforço a cada aula para evoluir a técnica.

Você foi convidado para ser um dos designers deste projeto “Colorindo a Vida”? Glauber - Sim, fui um dos ilustradores do livro. Ainda não está à venda, porém com propostas de ser um livro de colorir educativo entregue gratuitamente em escolas públicas para ajudar crianças e adolescentes que passam pela dificuldade de preconceitos e aceitação além de incluir na própria educação o tabu “todos somos iguais “.

Você foi o único designer do Alto Tietê convidado? Glauber - Sim. Há muitos outros ilustradores participantes e alguns até mesmo de outros Estados. Ao todo somos 21. Tive o apoio de alguns amigos neste projeto.

Como foi a homenagem que recebeu da OAB de São Paulo? Glauber - Ganhei um certificado oficial com a assinatura do Dr. Antônio Ricardo Miranda Junior (Presidente da 116º subseção), Dr. Umberto Luiz Borges D’Urso (Diretor do Departamento de Cultura e Eventos da OAB SP) e Dr. Marcos da Costa (Presidente da OAB SP). Assinei também um contrato de cinco anos com direito de uso da minha imagem e arte doada para o livro, e ganhei também um kit de higiene da OAB e, da BIC, conjuntos de lápis de cor, giz de cera e canetinha para colorir meu livro.

Porque O Boticário e a almapBBDO receberam o prêmio “Amigo da Diversidade? Glauber - Por conta do comercial de Dia dos Namorados, a empresa mostrava em sua propaganda que a forma de amar era ilimitada e sem preconceitos, que todos somos livres para presentear e amar quem quisermos independente de qualquer etnia, identidade de gênero, orientação sexual ou crença religiosa. A proposta da campanha “Casais”, que estreou em TV aberta no dia 24 de maio, é abordar, com respeito e sensibilidade, a ressonância atual sobre as mais diferentes formas de amor - independente de idade, raça, gênero ou orientação sexual - representadas pelo prazer em presentear a pessoa amada no Dia dos Namorados. O Boticário reitera, ainda, que valoriza a tolerância e respeito a diversidade de escolhas e pontos de vista” e a OAB identificou isso como uma empresa que merecia receber o prêmio, selo “Empresa Amiga da Diversidade” por mostrar nacionalmente na TV e em suas lojas que todos realmente somos iguais quando se trata do amor que sentimos por alguém.


Hoje Emerson Maria Taboada de Faria, Naldeli Fontes, Luís Paulo Oliveira de Paula, Lílian Kaioko Lelis, Sara Pacheco Puerta Namba, Daniel Vinicius Manoel, José Marques, Marcelo Mistroni, Paula Pilar Rodrigues, Manoel Cavalcante, André Alemi, Flavius Salomon, Paulinha Motta, Paula Doy Storani e Lara Ayumi Ramos Okimura.

Amanhã Marisa Gyotoku, Crisluci Lunardi, Pedro Campos Fernandes, Jorge Tokuzumi, Mamede Zacarias Rodrigues, Giovanna Marin Benedetti, Marcio Augusto Prates, Gracieli Cunha Talarico, Amanda Godinho, Vilma Rocha,Maderlei Honda, Natacha Abreu de Morais, Gisele Araújo, Francine Gomes, Elson Bacini, Priscila da Silva, Viviane Veloso Ramos e Amanda M. Tanoue de Oliveira.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias