quinta 13 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 13/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Entrevista

Apresentador de TV e colunista do DS, Jorge Lordello é o ‘Dr.Segurança’

Especialista em segurança já tem nove obras publicadas

27 julho 2019 - 16h41Por Daniel Marques - de Suzano
Colunista do DS há quase 30 anos, o escritor, especialista em segurança pública e apresentador do programa "Operação de Risco" da "RedeTV!", Jorge Lordello, delegado de política, quer lançar mais uma obra literária: uma coletânea de crônicas. 
 
O projeto ainda não tem uma data, mas é um desejo de Lordello. Atualmente, o escritor tem nove livros (alguns deles fora do Brasil) e às terças e domingos, publica textos em sua coluna no jornal.
 
No currículo de Lordello estão mais de mil entrevistas com criminosos ao longo da carreira. O material serviu para publicação de livros. O especialista contou um pouco sobre o livro "Paixões Perigosas: Contos Policiais".
 
A obra é composta por 14 histórias de crimes passionais relevantes. 
Para montar os textos, ele separou pedaços de grandes histórias e juntou umas nas outras. "Peguei quatro pedaços de quatro crimes e criei uma história. Tudo o que está no livro é baseado em fatos reais, mas trechos diferentes de histórias diferentes", revela.
 
Lordello se tornou escritor, mas acreditava não ter dom para tal. No entanto, muitos o conhecem pelas crônicas que escreve. Ele conta que tudo começou após um convite do DS. 
"Eu trabalhava na delegacia, e o jornal fazia muita pauta lá. A Simone Leone (então editora) me chamou para escrever um texto, e eu não quis. Ela insistiu, então escrevi e as pessoas gostaram. Depois fui chamado mais vezes para escrever", revelou. 
 
O delegado afirma que muitas pessoas que falam sobre criminalidade, nunca de fato entrevistaram um criminoso e que, por isso, não conseguem entender o raciocínio dele. 
 
Ele conta que os criminosos vivem em um mundo "totalmente à parte", e que têm a cabeça voltada especialmente para o crime. 
 
"Para eles, roubar um celular na rua ou cometer um latrocínio (roubo seguido de morte) é absolutamente normal. Cometem crimes e depois vão tomar cerveja ou ficar com mulheres", diz.
Lordello também contou um pouco sobre como as gravações do programa "Operação de Risco", no qual ele apresenta na "RedeTV!" são feitas. 
 
Além do cinegrafista, câmeras são distribuídas nos uniformes de policiais, viaturas e até no armamento usado por eles.
 
A equipe de televisão é treinada e usa equipamentos de segurança, como colete a prova de balas. Além disso, a emissora adota o cuidado de não revelar rosto ou localização de quem é abordado, algo que Lordello segue, mas que não concorda. "Usamos recursos que escondem o rosto e cortam a voz. O certo era mostrar, até porque outras vítimas poderiam reconhecer e recuperar bens roubados, mas a Legislação não permite. Ela protege e dá muitos direitos ao criminoso", lamenta o apresentador.
 
Em 2014, Lordello ganhou um leilão e arrematou um Veraneio da Polícia Civil. Ele reformou e circula atualmente com o veículo. O delegado conta que, por onde o carro passa, reúne curiosos que querem tirar fotos. 
 
Além disso, o apresentador já foi procurado por produtoras para alugar o veículo, e ela está no filme do Edir
Macedo. 
 
"Aquele Veraneio é meu. Na rua, tem gente que fica espantada. Quem está fumando, acaba jogando fora; a própria pessoa 'se enquadra'", brinca.

Deixe seu Comentário

Leia Também