Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 24 de maio de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/05/2019
PMMC SEGURANÇA
PMMC CAMPANHA DE AGASALHO
PMMC GRIPE
centerplex 23 a 29/05
PMMC MAIO AMARELO
Carnaval

Suzanense de 75 anos desfila há 40 anos na Escola de Samba 'Vai -Vai'

Sambista Maria do Carmo participa, desde os 18 anos, da escola paulistana e neste ano desfilou no grupo da Velha Guarda

Por Amanda Moreira - de Suzano08 MAR 2019 - 23h38
Sambista Maria do Carmo participa, desde os 18 anos, da escola paulistana e neste ano desfilou no grupo da Velha GuardaFoto: Sabrina Silva/DS
Com muito samba no pé e sorriso no rosto, é assim que Maria do Carmo Pereira de Jesus, de 75 anos, vive a vida. Apaixonada pelo samba e, principalmente pela Vai-Vai, a aposentada não esconde o orgulho em participar do grupo da Velha Guarda da escola de samba paulista. 
 
Sambista da escola há mais de 40 anos, a madrinha do skatista Davison Fortunato, mais conhecido como Bob, conta suas experiências e desafios em desfilar em uma das escolas de maiores agremiações do carnaval brasileiro e a maior campeã do carnaval de São Paulo com 15 títulos desde sua fundação, em 1930. 
 
Desde muito nova, Maria descobriu sua verdadeira paixão pelo samba. Aos 18 anos, começou na Vai-Vai participando de blocos e desfilando nas alas. Atualmente, participa nos desfiles em cima dos carros alegóricos. "Já sai em muitas alas e desfilei com várias fantasias diferentes e pesadas por conta dos costeiros e chapéus. Porém, faz três anos que faço parte do carro alegórico, e mesmo com problema na perna eu me divirto demais", explica a sambista.
 
Com ensaios em todo o período do ano, Maria conta que costuma viajar sempre com o afilhado, que é considerado um filho para ela. Bob, participa dos encontros e acompanha os desfiles da madrinha, e diz se orgulhar do esforço e dedicação que a mesma têm pela escola de samba. "Sinto muito orgulho, pois ela mostra que independente da idade, temos que correr atrás dos nossos sonhos. Com perseverança e dedicação, ela mostra que qualquer dificuldade pode ser superada. Gostaria de ter um por cento de garra que essa mulher tem, com certeza, quero ser como ela no futuro", emociona o skatista.
 
Superação
 
Neste ano, o carnaval não acabou muito bem para a escola Vai-Vai, que acabou sendo rebaixada para o grupo de acesso em 2020. Com enredo "Quilombo do Futuro", a escola mostrou a luta dos negros por justiça e igualdade, além de apresentar figuras como: Barack Obama, Nelson Mandela e a vereadora carioca Marielle Franco, assassinada no ano passado.
 
Mesmo com a derrota, Maria não esconde o orgulho em fazer parte da escola, que é sua maior paixão.
"Amo desfilar na Vai-Vai, é um sentimento inexplicável. Quando chega o carnaval, não vejo a hora de colocar a fantasia para dançar, porque lá eu esqueço de tudo e sei que é o meu momento de brilhar na avenida". 
 
Com toda disposição em sambar, ela incentiva e inspira muitas pessoas, principalmente, as da melhor idade. "Seja sempre pra frente e nunca deixem a peteca cair˜. Pra mim, não tem dia nem hora, independente de qualquer coisa, pode ser chuva ou sol, sempre vou desfilar nessa escola, mesmo na alegria ou na derrota meu coração sempre será a Vai-Vai", afirma.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias