sexta 01 de março de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 01/03/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Áreas de risco no Brasil

23 fevereiro 2023 - 05h00

O DS vem acompanhando e atualizando a quantidade de áreas de riscos nas cidades da região. A Defesa Civil dos municípios do Alto Tietê realiza monitoramento constante nesses locais. No final de semana, a Agência Brasil publicou reportagem mostrando que o Brasil tem hoje já mapeadas pela Defesa Civil Nacional aproximadamente 14 mil pontos de riscos altíssimos de desastre e 4 milhões de pessoas morando nessas áreas. 
A informação foi dada pelo ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes.
É importante que a partir deste levantamento, as autoridades possam garantir planos e metas para evitar novas tragédias.
No final de semana, o ministro Waldez Góes falou também sobre a tragédia causada pelas fortes chuvas no litoral norte de São Paulo que causou deslizamentos exatamente em áreas de risco. De acordo com o ministro, desde quinta-feira (16), devido aos alertas de chuva, a Defesa Civil Nacional teve reuniões com autoridades dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.
Segundo o levantamento, o Brasil tem um sistema de Defesa Civil bem estruturado e organizado. 
O ministro disse que a população resiste muito em acreditar nos alertas. As pessoas, às vezes, tendem a querer acreditar que não vai acontecer, segundo o ministro.
Góes lembrou que, além dos moradores, que são milhares de pessoas, parentes ou pessoas a trabalho ou a lazer, se deslocam para a região nesse período carnavalesco. 
Os próximos dias ainda devem ser de tensão, já que a previsão é ainda de muita chuva na região.
Nesse primeiro momento, o plano de trabalho está focado em assistência às cidades de São Sebastião, Ilhabela, Ubatuba, Caraguatatuba, Bertioga e Guarujá.
Em outra frente, segundo o ministro, as prefeituras das cidades atingidas, que já tiveram estado de calamidade reconhecidas, trabalham na elaboração dos planos de trabalho para que sejam feitas as transferências de recursos financeiros e iniciar os trabalhos que restabeleçam a situação de normalidade e de reconstrução das cidades.
Waldez Góes ressaltou o trabalho integrado do governo federal com as prefeituras e Governo do Estado de São Paulo, e como exemplo, disse que programas de habitação como o Minha Casa, Minha Vida, podem ser priorizados em cidades afetadas ou com muitas pessoas em áreas de risco.
O DS também vem acompanhando as áreas de risco nas cidades da região e também traz, na edição de hoje, a situação de bairros inundados por conta das chuvas.