terça 21 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Bolsa Família

20 janeiro 2023 - 05h00Por editoracao

O Bolsa Família, antigo Auxílio Brasil, vai atender uma quantidade importante de pessoas da região neste ano.
Ele integra em apenas um programa várias políticas públicas de assistência social, saúde, educação, emprego e renda. 
O programa social de transferência direta e indireta de renda é destinado às famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza em todo o país. 
Além de garantir uma renda básica a essas famílias, o programa busca simplificar a cesta de benefícios e estimular a emancipação dessas famílias para que alcancem autonomia e superem situações de vulnerabilidade social.
Na edição de ontem, o DS trouxe reportagem mostrando o número de beneficiários do programa.
Somente no Alto Tietê foi contabilizou um crescimento de 8% de famílias dependentes neste início do ano. O número corresponde a 133 mil famílias que aguardam o pagamento da primeira parcela do benefício que se iniciou nesta quarta-feira (18).
A comparação de crescimento é feita com os dados divulgados pelo DS. Apontava que 123 mil famílias da região, em setembro, dependia do Auxílio Brasil, a divulgação foi feita pelo Ministério da Cidadania.
Neste ano, a região receberá um repasse de R$ 82 milhões superando em 11,46% os R$74 milhões dos dados de setembro.
Os programas de geração de renda no Brasil são muito importantes porque têm por objetivos garantir autonomia aos indivíduos, enquanto frágil consumidor, amenizando os efeitos mais perversos dos efeitos da pobreza e desigualdade social, desconsiderando o crescimento do desemprego e a distribuição de renda, tendo como orientação a focalização na extrema pobreza, para que não ocorra o desestímulo ao trabalho. Os resultados se reduzem à mera reprodução da pobreza, visando apenas garantir padrões mínimos de sobrevivência. 
Nesta semana, a Caixa Econômica Federal começou a pagar a parcela de janeiro do Bolsa Família com valor mínimo de R$ 600. Os beneficiários com Número de Inscrição Social (NIS) de final 1 são os primeiros a receberem.
Segundo o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, neste mês o programa de transferência de renda do Governo Federal alcançou 21,9 milhões de famílias, com um gasto de R$ 13,38 bilhões. O valor médio recebido por família equivale a R$ 614,21.
A partir deste mês, o programa social, que estava com o nome de Auxilio Brasil no governo anterior, volta a ser chamado de Bolsa Família. O valor mínimo de R$ 600 foi garantido após a aprovação da Emenda Constitucional da Transição, que permitiu o gasto de até R$ 145 bilhões fora do teto de gastos neste ano, dos quais R$ 70 bilhões estão destinados a custear o benefício.
Na região, Mogi das Cruzes lidera com 38,2 mil famílias dependentes do benefício. O valor repassado é de R$ 23,6 milhões e a média repassada fica em R$ 618. Itaquaquecetuba fica em segundo lugar com 25,1 mil famílias no aguardo do repasse de R$ 15,4 milhões, a média é de R$ 611 por família. Suzano ocupa o terceiro lugar no ranking com 24,1 mil famílias beneficiadas. O repasse da cidade corresponde a R$ 14,7 milhões e uma média de R$ 612 .