segunda 15 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Campanha contra Gripe

16 abril 2017 - 08h00

Gripe é o nome dado a uma doença altamente contagiosa, provocada por um vírus capaz de sofrer mutações com bastante frequência: o Influenzavírus, ou somente influenza. Seus sintomas são bem parecidos com os do resfriado e da rinite alérgica. No entanto, são mais severos, impossibilitando a pessoa acometida de exercer suas atividades diárias, normalmente. Na semana passada, o Ministério da Saúde lançou, em Brasília, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. A mobilização começará um pouco mais cedo em relação ao ano passado, tendo início amanhã, dia 17 de abril, e se estendendo até o dia 26 de maio. No período, o Ministério da Saúde estima que 54,2 milhões de pessoas serão vacinadas em todo o país. Uma das metas é atingir 90% da população considerada de risco para complicações por gripe. Este ano, os professores das redes pública e privada foram incluídos entre os alvos prioritários da campanha. A partir de segunda, os professores poderão se dirigir aos postos de saúde com o documento de identificação, mas nos dias 2 e 3 de maio a vacinação dos docentes ocorrerá nas escolas. A estimativa do Ministério da Educação é de que 2,3 milhões professores devem ser vacinados. Os professores sempre solicitaram inclusão no grupo preferencial, pelo fato de terem contatos com dezenas de alunos diariamente e estarem mais expostos à contaminação. Idosos, trabalhadores de saúde, crianças de seis meses até 5 anos, gestantes, mulheres no período pós-parto, indígenas, população privada de liberdade, inclusive os adolescentes em cumprimento de medida socioeducativa, e pessoas com doenças crônicas continuam como público-alvo da vacinação. O principal objetivo da campanha é reduzir as hospitalizações e a ocorrência de mortes relacionadas à influenza. Segundo o Ministério da Saúde, estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de internações por pneumonia e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da gripe. Desde 2009, quando teve início a epidemia de gripe, a maior incidência foi no ano passado. O Ministério da Saúde lembrou que, em 2016, houve uma antecipação da ocorrência de infecções, a partir de janeiro, e mais de 2.200 pessoas morreram por problemas relacionadas à gripe. Apesar de não ser uma doença grave, e raramente provocar sintomas por mais de duas semanas; a gripe é responsável pela morte de milhares de pessoas, todos os anos, em razão da baixa imunidade, e/ou em decorrência do surgimento de outras doenças, como pneumonias. Além disso, surtos epidêmicos e endêmicos provocados por novas linhagens do vírus também são capazes de causar um número significativo de mortes. Daí a importância de se vacinar contra a doença.