quinta 23 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Dados sobre poluição do ar

16 abril 2024 - 05h00Por editoracao

Uma iniciativa muito importante e inovado vai contribuir para a medição da poluição do ar.
Além de informações sobre o trânsito, em um futuro não muito distante será possível decidir o melhor trajeto e horário para se deslocar de carro em cidades como São Paulo com base em dados da qualidade do ar. 
As informações são do portal do Governo do Estado. Por meio de estudos apoiados pela Fapesp (projetos 16/18438-0, 16/14501-0 e 20/08505-8), pesquisadores do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) e da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP) estão elaborando mapas que indicam as regiões da cidade com maiores índices de poluição e os períodos de pico de emissão.
Alguns dos resultados dos projetos foram apresentados durante um painel de apresentação de oportunidades de estudos sobre cidades inteligentes realizado nesta terça-feira (9), na abertura da Fapesp Week Illinois, em Chicago (Estados Unidos).
Realizado pela Fapesp em parceria com o Sistema de Universidades de Illinois (UIS, na sigla em inglês) – formado pelas universidades de Illinois em Chicago, em Urbana-Champaign e em Springfield – na sede do Discovery Partners Institute, em Chicago, o encontro tem o objetivo de criar oportunidades de cooperação científica e tecnológica entre pesquisadores de São Paulo e do centro-oeste norte-americano.
De acordo com o governo estadual, o evento reúne pesquisadores vinculados a universidades e instituições de pesquisa no Estado de São Paulo, do UIS, da região dos Grandes Lagos da América do Norte – localizada na fronteira entre os Estados Unidos e o Canadá – e de instituições parceiras do Canadá e do México.
Entre as áreas de atuação dos participantes estão saúde e medicina, agricultura inteligente, clima, bioenergia, investimentos em instituições democráticas e cidades inteligentes.
Algumas tecnologias-chave que estão impulsionando o desenvolvimento de soluções voltadas a tornar as cidades em diferentes partes do mundo mais inteligentes são a fibra óptica, sensores de sinais de rádio e de frequências de telefones celulares.
Em São Paulo, por exemplo, por meio de equipamentos portáteis, como contadores de partículas a laser e aparelhos de GPS instalados em carros, pesquisadores do IAG e da FSP-USP estão medindo e obtendo dados georreferenciados da concentração de material particulado a que motoristas e passageiros estão expostos na cidade em diferentes trajetos e horários.