terça 21 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Desafios sobre a mobilidade

13 dezembro 2022 - 05h00

A mobilidade nos centros urbanos é objeto de crescente preocupação para os gestores de políticas públicas. A população tem aumentado e a expectativa de atendimento das demandas no setor crescem. A mobilidade urbana deficiente é um problema de múltiplas causas e, portanto, exige esforços em várias direções. Ao mesmo tempo, essas soluções envolvem grandes custos de planejamento e dependem de soluções em outras dimensões também problemáticas, como a maneira pela qual o território urbano é ocupado ou a questão ambiental. Além disso, o deslocamento pelas cidades tem impacto econômico considerável. 
Ontem (12), o governador Rodrigo Garcia fez a abertura do seminário Desafios da Mobilidade no Estado de São Paulo, promovido pelo Estúdio Folha, ateliê de conteúdo patrocinado da Folha de S.Paulo. 
Uma iniciativa muito importante porque pode trazer novidades no setor de desenvolvimento urbano das cidades.
Durante o evento houve duas mesas de discussão sobre os desafios para a expansão do Metrô e da CPTM e sobre linhas intermunicipais, como o Trem Intercidades.
“São Paulo mais do que dobrou sua área de Metrô em mais de 20 anos. A cidade demanda muito mais opções de linhas, mas é importante a gente contextualizar o que São Paulo fez comparado com os outros estados do Brasil. São Paulo avançou nesses últimos anos e hoje nós temos um sistema de metrô que é de boa qualidade, é aprovado pelo usuário, mas ainda é insuficiente do ponto de vista de sua abrangência. O desafio do governo e da própria sociedade é pactuar a importância dessas obras para que a gente tenha uma cidade cada vez mais com qualidade de vida”, afirmou o governador durante evento por meio do portal do Governo do Estado. O Governo do Estado possui, simultaneamente, cinco linhas em obras no Metrô e na CPTM: Linha 2-Verde, Linha 6-Laranja, Linha 9-Esmeralda, Linha 15-Prata e Linha 17-Ouro. O investimento é de R$ 32 bilhões e elas vão garantir 35 novas estações ao longo de 40 quilômetros de trilhos.
Portanto, quanto mais abertura opções de deslocamento, melhor será a capacidade de a cidade ter para oferecer ao seu público, ao seu passageiro.
Atualmente, a atual gestão do Estado retomou a Linha 6-Laranja de Metrô, maior obra da América Latina, com geração de nove mil empregos. Com investimento de R$ 18 bilhões, a linha tem previsão de conclusão em 2025 e vai ligar a Brasilândia, na zona norte de São Paulo, a São Joaquim, no Centro, por meio de 15 estações em 15,3 quilômetros.
A Secretaria dos Transportes Metropolitanos atende cerca de 10 milhões de passageiros que usam os ônibus gerenciados pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU), além dos trens do Metrô, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e das linhas 4-Amarela, 5-Lilás, 8-Diamante e 9-Esmeralda, concedidas à iniciativa privada.