domingo 21 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Economia em recuperação

10 agosto 2017 - 05h00
A recuperação da economia é uma das marcas a ser percorrida pelo atual governo federal. A situação crítica da economia preocupa, principalmente por conta do número de desempregados no País.
Ontem, novo levantamento mostrou que o mercado de trabalho brasileiro abriu 35,9 mil vagas formais em julho. É o quarto mês consecutivo com saldo positivo e o quinto mês do ano. As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgadas ontem.
A recuperação é necessária, sobretudo, por causa da grande quantidade de empresas que deixaram de investir nos últimos anos.
O saldo de julho resulta da diferença entre 1.167.770 admissões e 1.131.870 demissões no mês passado. De janeiro a julho, há saldo positivo acumulado de 103.258 novas vagas.
O saldo positivo mensal foi impulsionado pelo setor da indústria da transformação, que criou 12.594 vagas. 
O comércio abriu 10.156 vagas e o setor de serviços, 7.714. A agropecuária vem logo atrás, com a criação de 7.055 vagas. Por fim, a construção civil teve criação de 724 vagas. Segundo o Ministério do Trabalho, é a primeira vez em 33 meses que a construção civil teve desempenho positivo na criação de empregos.
São empregos que não decorrem de uma sazonalidade e têm muito a ver com o poder de compra do consumidor, comentou o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira. 
A liberação para saque do saldo das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) contribuiu com o resultado positivo.
É que foram liberados para o trabalhador R$ 44 bilhões das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). 
O trabalhador teve o direito de usufruir desse dinheiro da forma mais conveniente, garantem especialistas. 
Ou pagar contas, ou utilizar desse dinheiro para fazer investimentos. E isso influenciou no crescimento da indústria da transformação.
O Ministério do Trabalho e Emprego tem a previsão de o Brasil não vai ter mais números negativos em emprego. A expectativa é de que no mês que vem, o País tenha números bem melhores. 
A expectativa é positiva pode garantir mais investimentos e geração de empregos em praticamente todas as áreas do País, que vem sofrendo com a crise econômica-financeira.