Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 11 de dezembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 10/12/2019

Escola Raul Brasil

01 AGO 2019 - 23h59
Passados quase cinco meses do massacre na Escola Raul Brasil, o governo do Estado autorizou a reforma do prédio.
Nesta semana, o DS trouxe reportagem mostrando que o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PL) e a primeira-dama Larissa Ashiuchi participaram de uma reunião com o governador João Doria, no Palácio dos Bandeirantes, para tratar da reforma completa da Escola Estadual Professor Raul Brasil, que será feita pela iniciativa privada. 
Os trabalhos de mudança e reforma devem começar no final deste mês.
Um trabalho importante porque, desde a tragédia, muitas sequelas ainda ficaram por parte de pais de alunos, funcionários e estudantes.
Na reunião, ocorrida nesta semana, também participaram do encontro o presidente do Fundo Social do Estado de São Paulo, Filipe Sabará; o secretário estadual de Relações Internacionais, Júlio Serson; o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares; e a secretária estadual de Desenvolvimento Social, Célia Parnes; além de membros das empresas Suzano SA, MRV Engenharia, Paradise Golf Club, Nadir Figueiredo e International Paper do Brasil. 
Na oportunidade, o projeto de reforma da escola Raul Brasil - que foi alvo de ataque por parte de dois jovens que abriram fogo contra alunos e profissionais da instituição, resultando na morte de oito pessoas, além dos atiradores - foi criado pela Suzano SA em parceria com a Secretaria Estadual de Educação, foi apresentado às autoridades. 
Entre as mudanças, estão a ampliação da instituição de ensino e a mudança da entrada, que vai passar da rua Otávio Miguel da Silva para rua José Garcia de Souza. 
A reportagem mostrou que as intervenções, segundo o cronograma apresentado, serão iniciadas no final de agosto e a previsão é que sejam concluídas até janeiro de 2020. 
As sequelas que ficaram por conta da tragédia ainda terão de ser superadas. 
Mas vai demorar. Muitos estudantes ainda estão receosos em voltar para a escola, pais e professores também guardam o trauma provocado pelo massacre.
A expectativa é de que os trabalhos de reforma serão financiados pelas instituições privadas, tendo à frente à Suzano SA. 
O projeto conta com muitas melhorias para a escola, com criação de novos ambientes, por exemplo. 
Não há dúvida que é importante ter ideia de que é preciso mudar o espaço por completo, dando um novo significado. 
Sem dúvida, apesar de todas as cicatrizes que vão ficar para sempre, a reforma pode ser o início de um trabalho de recomeço.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias