segunda 15 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Limpeza do Tietê

01 junho 2017 - 08h00

Os serviços de desassoreamento do Rio Tietê, que estão sendo realizados pelo governo do Estado, serão importantes para a região. Isso porque a retirada de detritos que se acumulam no rio impedem a passagem de toda a água, o que ajuda a ocasionar enchentes em bairros que são cortados pelo curso d’água. Ontem, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) deu início a mais uma parte das obras. Desta vez, os serviços começaram a ser feitas entre o córrego Três Pontes, na divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, e a Barragem da Penha. Segundo o Estado, com este novo trecho, o DAEE está realizando obras em 120 quilômetros do Rio Tietê. Durante o evento, o tucano frisou que esta é a hora de realizar este tipo de serviço para evitar enchentes. Para este trecho, o investimento é de R$ 39,6 milhões. A estimativa é remover um total de 500 mil m³ de sedimentos (areia, argila e materiais não inertes) e lixo depositados no fundo do canal. A expectativa é concluir o trecho em 10 meses. Em Suzano, os serviços de limpeza começarão com atraso. Previsto inicialmente para julho deste ano, o Estado adiou o projeto para outubro. A informação foi confirmada em maio. Segundo o Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE), o atraso aconteceu por falta de recursos. A meta era de que até fevereiro a limpeza fosse concluída. Com o novo prazo, a data final ficou para junho de 2018. Ou seja, o adiamento é prejudicial para a cidade, já que os serviços serão concluídos somente após o período em que mais se registra chuvas. O trabalho de desassoreamento do Rio Tietê, na região, começou em agosto do último ano. Na região serão desassoreados 44 quilômetros de rio. O investimento do contrato total é de R$ 37,7 milhões. Para 2017, são R$ 25 milhões, mas houve a liberação de somente R$ 16 milhões. Mesmo diante da crise, o que se espera é que o Estado consiga verba para que os serviços sejam realizados o mais rápido possível nas cidades. A promessa de desassoreamento no trecho da região foi feita por Alckmin há alguns anos e o serviço é importante para que a população deixe de sofrer com as enchentes causadas pelo transbordamento do rio. Com o início deste novo trecho, é preciso esperar que o restante da verba para o Alto Tietê seja liberada e que a limpeza, em Suzano, não seja adiada mais uma vez.