Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 17 de junho de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 15/06/2019
CENTERPLEX 13 A 19/06
PMMC JUNHO VERDE
PMMC UPA JUNDIAPEBA
PMMC AGASALHO

Linha direta

30 MAR 2019 - 23h59
A tragédia na Escola Raul Brasil ainda rende muitas discussões em torno da segurança escolar. 
Muitas propostas foram colocadas na mesa, sem ainda alguma efetivação concreta. 
Na semana passada, uma audiência realizada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Suzano trouxe mais novidades em torno de propostas para combater ou dar mais segurança aos estudantes nas escolas.
O evento, realizada na quinta-feira, dia 28, foi marcado por pedidos de monitoramento escolar, implantação de agentes de segurança nas unidades e até mesmo professores armados.
Mais uma vez, o governo do Estado tentou trazer solução para amenizar a situação.
O secretário-executivo da PM, Álvaro Batista Camilo, anunciou, ao menos, duas medidas, conforme reportagem publicada pelo DS.
As propostas são uma linha direta das escolas com a PM, sem necessidade de passar pelo 190 para atendimento mais rápido, e ainda a inclusão das escolas no Projeto “Vizinhança Solidária”. 
A situação após a tragédia no Raul Brasil ainda é crítica, uma vez que muitos professores, estudantes e funcionários continuam com o trauma desse triste acontecimento.
Na audiência da OAB, realizada na semana passada, foi criado um Fórum de Debates que será composto por pais, professores, alunos e diretores, com objetivo de buscar soluções para o ensino. 
A audiência, realizada no Teatro Armando de Ré, contou com a participação de professores, autoridades e moradores de Suzano e região para buscar formas de reduzir a violência. 
E é importante que essas discussões ocorram para garantir uma solução importante para que ocorrências como essas não se repitam. 
Na entrevista que o presidente da OAB de Suzano, Wellington Santos, concedeu ao DS, ele afirmou que propostas de mais monitoramento escolar, agentes de segurança nas unidades e professores armados, foram as que dominaram durante o encontro. 
Agora, a OAB vai estudar os pedidos feitos durante audiência. Contudo, um novo encontro deve acontecer nos próximos dias. 
As discussões em torno de soluções e medidas devem continuar. 
E que o retorno dos estudantes, professores e funcionários seja feito de forma gradual com tranquilidade e segurança para todos.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias