domingo 14 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Lista do Procon

01 agosto 2017 - 05h00
A lista das principais reclamações do Procon, órgão de Defesa do Consumidor, traz uma questão recorrente: problemas com as empresas de telefonia. Elas lideram o ranking de reclamações na cidade, assim como em outras cidades do País.
A listagem diz que entre as situações mais comuns estão: cobrança abusiva ou indevida; atividades mal executadas, inadequadas ou impróprias; vendas, ofertas, ou publicidade enganosa; reclamações do atendimento do SAC, como ausência de resposta, excesso de prazo e não suspensão imediata de cobrança.
No levantamento acumulado deste ano as queixas mais recorrentes são das empresas Vivo/Telefônica e América Móvil, responsáveis pelos serviços da Claro, Net e Embratel.
A Vivo registrou 137 reclamações neste ano. Já a América Móvil contabilizou 85 casos. A média de solução das queixas, entre ambas as entidades, é de 73% dos casos solucionados. 
O índice máximo de soluções, entre as 10 entidades mais relatadas no ranking de reclamações do Procon, é de 77,7%. O maior indicador de deliberação está no grupo Itaú Unibanco, que ocupa a quinta posição da listagem com 44 reclamações atendidas pelo Procon suzanense neste ano. A média total de resoluções, no levantamento, é de 59,34% da demanda.
Também aparecem no ranking a Tim e Nextel, e ainda os bancos Bradesco, Itaú e Caixa Econômica Federal. Além da operadora de TV a cabo Sky e a Marketplaces Cnova, que opera os sites da Casas Bahia, Extra, Ponto Frio, entre outras lojas. A lista das 10 entidades relatadas somam 529 atendimentos do Procon, sendo 222 queixas referentes às operadoras de telefonia.
É relevante que haja acompanhamento dos problemas ocorridos com mais frequências para que estas empresas sejam cobradas. Há anos os problemas são recorrentes. Em muitos casos, a empresa cobra por um serviço ou uma taxa que a pessoa não solicitou. Depois disso, o cancelamento normalmente tem uma série de burocracia para acontecer.
Os órgãos de Defesa do Consumidor tem um levantamento que é disponibilizado no site para que as pessoas possam acompanhar quais são os problemas com maior número de casos. É verdade que, na maior parte deles, a situação é resolvida, mas para isso o Procon, em grande parte das vezes, precisa ser acionado. 
Por isso este órgão é relevante. Para que os consumidores não sejam lesados por conta de produtos adquiridos. Para melhorar o atendimento na cidade, o Procon suzanense estuda um convênio com o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a fim de aliviar o Judiciário dos processos simples, que podem ser solucionados pela própria entidade.