sábado 20 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 20/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Maternidade

22 julho 2017 - 05h00
A construção de uma nova maternidade pode ser a solução para suprir o déficit de leitos na região. Diante da falta de 377 leitos obstétricos, de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e de cuidados intermediários, o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) está articulando soluções com o governo do Estado. Uma das ações, que está sendo articulada, é a possibilidade de implantação de uma maternidade. Segundo divulgado, a cidade de Mogi das Cruzes teria oferecido o terreno.
As informações foram apresentadas pela Câmara Técnica de Saúde do Condemat. Além da maternidade, foi falado na ampliação da maternidade da Santa Casa de Mogi das Cruzes, com a implantação de 27 leitos.
Segundo o grupo, o déficit de leitos traz consequências, como superlotação das maternidades, que são referência em alto risco e o impacto na taxa de mortalidade materno-infantil no Alto Tietê. A própria Santa Casa de Mogi teve a maternidade fechada por duas vezes por conta de superlotação.
Os números oficiais apontam um déficit de 292 leitos obstétricos, sendo 71 deles para gestação de alto risco. Em UTI Neonatal, o déficit é de 18 leitos, além de 67 para cuidados intermediários.
A falta de leitos na região foi admitida pelo governo do Estado. A possibilidade de implantação da maternidade foi inclusive apresentada pelo prefeito Marcos Melo (PSDB) ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), que por sua vez disse que a crise financeira barra o projeto.
O problema de leitos acontece há alguns anos. Em 2010, por exemplo, duas unidades que atendiam gestantes em Suzano foram fechadas (Campos Salles e São Sebastião). Posteriormente, a maternidade do Hospital Doutor Osíris Florindo Coelho, em Ferraz de Vasconcelos, permaneceu sem atividades por aproximadamente um ano e hoje opera com número de leitos reduzidos. 
Para se ter uma ideia, em 2015, a maternidade do Hospital Ipiranga de Mogi também fechou. Mogi também perdeu o setor que era instalado no Hospital Santana, em Mogi, que foi transferido para o Santa Maria, de Suzano, ambas unidades particulares. Diante deste cenário, é importante o fato de o Condemat se preocupar com o problema que há anos preocupa a população da região.