terça 28 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Monitoramento do Rio Tietê

19 abril 2024 - 05h00Por editoracao

Um trabalho importante de acompanhamento da situação do Rio Tietê é reforçado no Estado de São Paulo. O rio passa ou corta praticamente todas as cidades do Alto Tietê.
Nesta semana, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) implementou 19 novos pontos de medição da qualidade da água no Tietê, ampliando o total para 30.
Um número importante porque vai permitir que os pontos de acompanhamento sejam reforçados. A região ganha com a mudança também. 
A medida faz parte do programa IntegraTietê, que completa um ano de atuação em prol do maior rio do Estado. Além disso, houve aperfeiçoamento do indicador, que agora utiliza o COT (Carbono Orgânico Total), mais rápido, transparente, seguro e preciso, em que já foi possível observar melhora nas concentrações. A Cetesb também criou sua 47ª Agência Ambiental, dando mais agilidade aos processos de emissão de licenças para o programa.
Segundo o governo estadual, a partir da utilização do novo indicador, a carga é obtida por meio do produto entre a vazão média diária e a concentração medida no momento da coleta. Em 2023, a medição ocorreu em duas frentes: quantidade de carga orgânica gerada na bacia do Alto Tietê, medida no ponto de saída (Reservatório Edgard de Souza), e a concentração média de COT nos afluentes do Rio Tietê na bacia do Alto Tietê. Com isso, os resultados já mostraram uma uma melhora na qualidade da água acima do esperado nos últimos 12 meses, a carga média anual foi de 202 toneladas/dia, inferior à meta de 210 toneladas/dia e a média ponderada de COT foi de 30,6 mg/L, inferior à meta máxima prevista de 34 mg/L.
O resultado se deve, principalmente, ao aumento dos domicílios atendidos pela rede, em função da expansão das obras, que marcam o início do IntegraTietê. Os dados completos podem ser acessados em semil.sp.gov.br/integratiete. Importante destacar que, em função da ampliação do número de afluentes monitorados, as metas também foram alteradas, uma vez que se espera uma melhora na representatividade do indicador.
Para além da concentração do COT nos afluentes e da carga de COT na saída da região metropolitana de São Paulo (RMSP), a Cetesb, em 2023, monitorou o Rio Tietê em 16 pontos ao longo de toda a sua extensão, desde o trecho mais próximo da sua nascente, em Biritiba-Mirim, no Alto Tietê, até próximo da sua foz, no Baixo Tietê, em Itapura.
A companhia também dispõe de quatro estações automáticas para monitoramento da qualidade em pontos estratégicos do rio: em Mogi das Cruzes, em Pirapora-Rasgão, em Itu e em Laranjal Paulista, as quais monitoram a qualidade da água a cada cinco minutos para os parâmetros Oxigênio Dissolvido, pH, Turbidez, Condutividade Elétrica e Temperatura.
O perfil de qualidade das águas do Rio Tietê, ao longo de toda sua extensão, mostra o comportamento espacial da qualidade das águas em função das diferentes características de uso e ocupação do solo, que cruza a principal região metropolitana do país, recebe contribuições das regiões de Piracicaba e Sorocaba e cruza as plantações de cana de açúcar existentes no interior do estado.