quinta 18 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 18/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

ProUni

22 agosto 2017 - 05h00
O Programa Universidade para Todos (ProUni) é um programa criado pelo Ministério da Educação em 2004 que oferece bolsas de estudo em instituições privadas de Ensino Superior. Tem atendido estudantes de todo o País. 
Os da região também foram beneficiados pelo programa que oferece a oportunidade de vagas em universidades.
As bolsas concedidas - integrais (100%) ou parciais (50%) - são destinadas a estudantes brasileiros de baixa renda e sem diploma de nível superior.
Nesta semana, nova notícia sobre o programa mostrou que as inscrições para vagas remanescentes do Programa Universidade para Todos (ProUni) terminam na próxima sexta-feira para os candidatos que não estiverem matriculados em instituição de educação superior. Para os estudantes que já estão matriculados, o prazo final é 30 de outubro.
No total, são oferecidas 77 mil bolsas remanescentes das 147,4 mil ofertadas na chamada regular referente ao segundo semestre deste ano. As inscrições podem ser feitas pelo site do ProUni.
Podem se inscrever para as vagas remanescentes do ProUni aqueles que participaram do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir da edição de 2010 e obtiveram nota média igual ou superior a 450 pontos e superior a zero na redação. 
O ProUni oferece bolsas de estudo integrais e parciais (50%) em faculdades privadas, em cursos de graduação e sequenciais de formação específica.
Para concorrer à bolsa integral, o candidato deve comprovar renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa. 
Para a bolsa parcial, a renda familiar bruta mensal deve ser de até três salários mínimos por pessoa.
Não há dúvida de que o Programa Universidade para Todos, do governo federal, avançou na inclusão de jovens de baixa renda no Ensino Superior por meio de bolsas em instituições privadas, mas carece de maior regulamentação e transparência em seu funcionamento. Um estudo de mestrado realizado na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da Universidade de São Paulo (USP) pelo administrador Jean Lucri mostrou exatamente isso. 
A pesquisa recomenda maior presença do Estado na regulação do programa, por meio do Ministério da Educação (MEC), a fim de exigir padrões rigorosos de ensino e produção científica das instituições participantes. 
Pelo menos, até agora, o Prouni foi relativamente bem-sucedido em amenizar deficiências de fração do sistema de Ensino Superior brasileiro, com resultados positivos no acesso de jovens de baixa renda.