segunda 15 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Riscos das redes sociais

09 julho 2017 - 05h00
Quando nos cadastramos em sites como as redes sociais, somos responsáveis pelos dados que são disponibilizados nesses espaços. Navegar na internet com responsabilidade é um dever de todos. E nunca é demais receber dicas e orientações sobre como utilizar esses recursos. 
Especialistas afirmam que navegar pela internet é como caminhar na rua, temos as leis de trânsito, as normas e os cuidados com a sinalização. Apesar de a internet parecer um local onde "tudo é possível", também temos que seguir certas regras e cuidados.
Há riscos grandes, caso a internet não seja utilizada de forma adequada. Na semana passada, um caso acirrou ainda mais a preocupação com as redes sociais.
Um homem de 27 anos suspeito de cometer abusos sexuais contra, pelo menos, 30 menores entre 7 e 17 anos foi preso pela Polícia Federal (PF), em Poá. Após ser indiciado ficará à disposição da 6ª Vara da Justiça Federal de Guarulhos.
A PF informou que o caso foi descoberto por meio de uma cooperação policial internacional com os Estados Unidos, o que permitiu detectar fluxo de material pornográfico envolvendo menores por uma rede social, tendo sido instaurado o inquérito policial há cerca de dois meses.
De acordo com as investigações, o suspeito escolhia as suas vítimas a partir das fotos que elas publicavam no Facebook e, depois, fazia contatos, fingia ser fotógrafo profissional prometendo ser o intermediário em uma carreira de modelo. Assim que ganhava a confiança, partia para o ataque, pedindo que as vítimas tirassem fotos de si próprias nuas. Para convencê-las, o acusado indicava fotos de garotas em perfis falsos de modelos, criados por ele, dizendo que elas teriam atingido o sucesso por iniciativa dele.
Após conseguir a primeira foto das vítimas nuas, o investigado as obrigava a enviar imagens mais constrangedoras sob a ameaça de publicar as fotos já obtidas. 
O suspeito responderá pelos crimes de estupro de vulneráveis, produção, posse e divulgação de arquivos de abuso sexual de menores, e caso seja condenado, poderá pegar penas entre 17 e 36 anos de prisão.
É preciso que pais e as autoridades tenham cada vez mais consciência dos riscos. A investigação será importante para tentar derrubar casos preocupantes e que possam destruir vidas, principalmente de crianças.