segunda 15 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Títulos cancelados

23 maio 2017 - 08h00

O eleitor que não votou e não justificou a ausência nas três últimas eleições tinha prazo até 2 de maio de 2017 para regularizar a situação. Em todo o Estado, quase 530 mil eleitores paulistas (1,6% do eleitorado do Estado), sendo 122.716 na Capital (1,3% do eleitorado da cidade), estavam irregulares com a Justiça Eleitoral. Os dois turnos de uma mesma eleição são considerados duas eleições para efeito de cancelamento. Além disso, contam-se as faltas nas eleições suplementares. Já os pleitos anulados por determinação judicial não serão computados. Quem tem o título cancelado não pode obter passaporte, tomar posse em concurso público, matricular-se em instituição de ensino oficial, entre outras restrições. Na edição de domingo, o DS trouxe reportagem mostrando que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou que 18.062 eleitores do Alto Tietê tiveram o título cancelado. O prazo para quitação da dívida dos turnos eleitorais foi aberto no dia 2 de março. Cada falta em uma eleição custava R$ 3,50. Suzano, desde o início do procedimento de regularização tinha 4.791 títulos pendentes. Destes, apenas 159 quitaram a dívida, segundo levantamento da Justiça Eleitoral. Outros 4.632 títulos foram cancelados. Já em Mogi das Cruzes, 4.668 títulos estavam na berlinda. Sendo que 4.498 caíram e somente 170 eleitores regularizaram o documento. Em Poá, 1.459 títulos estavam pendentes. Depois de dois meses até o prazo final, 51 foram regularizados e 1.408 continuaram em débito. Em Itaquaquecetuba, 3.511 deveriam quitar a dívida. Porém, apenas 85 foram ao cartório normalizar a situação do título e 3.426 tiveram o título cancelado. Ferraz de Vasconcelos obteve um grande número também, sendo que 1.992 eleitores precisavam regularizar o documento. Destes, 49 resgataram o título e 1.943 o perderam. Em Arujá, 918 eleitores estavam devendo à Justiça Eleitoral. Apenas 31 quitaram o débito. É importante regularizar o título e manter o documento em dia, para não ter problema ao tentar tirar o passaporte e até mesmo com a justiça eleitoral. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quem teve o título cancelado deve comparecer ao cartório que o atende, levar RG, comprovante de endereço e quitar o débito. Na ocasião, será feito a 2ª via do documento. É uma das formas de tentar reaver o documento que é muito importante para o exercício da cidadania.