Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 24 de abril de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/04/2019
Pmmc
CENTERPLEX 18 A 25/04

Uso de drones

03 ABR 2019 - 23h59
Pelo País, o combate ao zika e outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti podem ganhar um novo aliado: os drones. A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) anunciou, no ano passado, a conclusão bem-sucedida de testes para usar as aeronaves em estratégias de controle dos mosquitos.
Os veículos aéreos transportam insetos tornados estéreis por meio de radiação e os liberam no meio ambiente para conter sua proliferação.
Um obstáculo ao uso dessa estratégia é a fragilidade do Aedes aegypti. 
Quando liberado em um ecossistema a partir de aviões, que voam em altitudes elevadas, o mosquito de zika, dengue e chikungunya pode ter suas asas e pernas destruídas ou machucadas.
Isso inviabiliza sua inserção na região visada.
Na semana passada, o Alto Tietê passou a pensar no assunto. 
As chuvas intensas dos últimos dias, os cuidados com a proliferação do mosquito transmissor da dengue devem ser redobrados, já que o acumulo de água parada pode intensificar a existência do Aedes Aegypti em uma região. Para isso, cidades do interior do Estado de São Paulo estão utilizando drones para disparar inseticidas em locais de difícil acesso e fiscalizar possíveis locais de criadouro do mosquito. 
Conforme reportagem do DS, no Alto Tietê, pelo menos três cidades mostram interesse em utilizar o equipamento. 
Ferraz de Vasconcelos garante que, se a questão orçamentária estiver de acordo, os equipamentos podem ser adquiridos no próximo ano. 
A ideia principal da utilização do drone é poder acessar e fiscalizar locais que as equipes de combate não consegue alcançar. 
Em Ferraz, caso os agentes não consigam entrar em determinada residência, uma notificação é feita aos proprietários para que tomem as devidas providências. 
Arujá também irá avaliar a possibilidade, que será estudada pela pasta da saúde, de integrar o equipamento ao combate à Dengue. 
Itaquaquecetuba acredita que a utilização do drone é bem vinda para evitar a proliferação das doenças causadas pelo mosquito. 
Hoje, os agentes acessam os locais ermos com o auxílio de uma escada multifuncional. 
O combate à dengue é importante. É uma responsabilidade dos órgãos públicos e de toda população. 
O mosquito da dengue se reproduz em qualquer lugar que houver condições propícias (água parada limpa ou pouco poluída). 
A conscientização da população e a tomada de medidas são de fundamental importância para a redução e, quem sabe, a erradicação desta doença do Brasil.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias