terça 28 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Vacinação contra a febre amarela

03 maio 2024 - 05h00Por editoracao

O Brasil se preocupa com a escalada da dengue, mas também não pode deixar de ficar aberta com as outras doenças.
Nesta semana, o Governo de SP alertou a população para o risco de contaminação por Febre Amarela após o Estado registrar no último dia 29 de março, o primeiro óbito confirmado pela doença em 2024, e reforça a importância da vacinação contra a doença. 
A febre amarela também é grande. Trata-se de uma doença infecciosa, causada por vírus e transmitida por vetores. 
Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. 
As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.
No Estado de São Paulo, o caso de morto foi em um homem, de 50 anos, morador de Águas de Lindóia e que se deslocava também pela região de Monte Sião em Minas Gerais. Além disso, um caso foi identificado na zona rural de Serra Negra, envolvendo um homem de 28 anos, que estava vacinado e se recuperou completamente.
A Secretaria de Estado da Saúde (SES) intensificou as ações de vigilância em saúde e vacinação nas regiões, reforçando a importância e conscientizando sobre a imunização de rotina, não apenas em momento epidêmico para evitar casos mais graves. A vacina contra Febre Amarela faz parte do calendário de imunização e está disponível nos postos de saúde do estado. Até o último dia 22 de abril, em todo o território estadual, a cobertura vacinal contra Febre Amarela é de 68,47% para crianças menores de um ano.
Desde abril de 2017, o Brasil adota o esquema vacinal de apenas uma dose durante toda a vida, medida que está de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Toda pessoa que reside em Áreas com Recomendação da Vacina contra febre amarela e pessoas que irão viajar para essas áreas devem imunizar-se pelo menos 10 dias antes do deslocamento.
Em 2018, devido aos inúmeros casos da doença, o Ministério da Saúde adotou o fracionamento de doses da vacina contra a febre amarela em três estados: Bahia, Rio de Janeiro e São Paulo. A medida foi recomendada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) como uma das estratégias de imunização, por ser um caso de emergência. Dessa forma, é importante relembrar que quem se vacinou, na época, com a dose fracionada precisa realizar uma nova vacinação após um intervalo de oito anos.
Portanto, é importante de acompanhar a caderneta de vacinação.