quarta 17 de julho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 17/07/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Editorial

Vacinas bivalentes contra Covid-19

10 dezembro 2022 - 05h00

Reportagem da Agência mostrou ontem que o Brasil recebeu o primeiro lote com 1,4 milhão de doses de vacinas bivalentes contra Covid-19. As doses são de fabricação da Pfizer e protegem contra a variante Ômicron original e a variante BA1.
Em comunicado, o Ministério da Saúde informou que o contrato firmado com o laboratório prevê a entrega de todas as vacinas disponíveis, com as atualizações, e aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 
Para identificação, os frascos das vacinas bivalentes têm tampa na cor cinza, cada um com seis doses.
Agora, as doses passarão por avaliação e análise do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde. 
As orientações sobre a distribuição, a aplicação das vacinas e o público-alvo serão divulgadas pelo Ministério da Saúde, em nota técnica, nos próximos dias.
“Mesmo diante da chegada dos novos lotes de vacinas, é importante reforçar que as doses disponíveis neste momento nas salas de vacinação de todo Brasil são eficazes contra a doença e protegem contra casos graves e óbitos. Os brasileiros devem procurar os postos de vacinação mesmo após o prazo para a dose de reforço”, alertou o Ministério da Saúde.
Desde o começo da campanha contra Covid-19, a pasta distribuiu mais de 568 milhões de doses de vacinas a todos os estados e ao Distrito Federal. 
Desse total, 247,4 milhões são da Pfizer.
Diante da ausência do orientações atualizadas do Ministério da Saúde, as decisões sobre a aplicação de doses de reforço da vacina contra Covid-19 recaem sobre os municípios e estados. Com cada cidade utilizando critérios diferentes para a aplicação das vacinas, falta clareza para os brasileiros sobre a importância de completar seu esquema vacinal para conter o novo aumento dos casos da doença.
As novas vacinas bivalentes da Covid-19 tem o intuito de melhorar a defesa do organismo contra a doença. De acordo com Max Igor Lopes, médico infectologista consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia, os novos medicamentos chegam para conter as variantes mais recentes do Sars-Cov-2. 
As vacinas bivalentes são imunizantes adaptados para proteger contra as formas da variante ômicron. Essas doses usam a mesma tecnologia das primeiras gerações —de RNA mensageiro, que induz o organismo a sintetizar uma proteína e estimula o sistema imunológico a combater o novo coronavírus.