Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quinta 23 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/11/2017
mrv

Em ‘Além do Tempo’, Ana Beatriz vive sofredora

16 JUL 2015 - 08h00

*Entrevista



 Acostumada a interpretar vilãs na TV, Ana Beatriz Nogueira trocará de lado na nova novela das 18 horas da Globo,"Além do Tempo". Na trama de Elizabeth Jhin, a atriz será a sofredora Emília, uma moradora antiga de Campobello, que tem uma filha, Lívia (Alinne Moraes), fruto de uma relação com o filho desaparecido da temida Condessa Vitória (Irene Ravache).

No passado, Emília trabalhava com um grupo de saltimbancos e se apaixonou por Bernardo (Bernardo Marinho/Felipe Camargo), filho único da Condessa que, de imediato, se posiciona contra o namoro já que o rapaz é de uma família tradicional, ligada à nobreza italiana. A raiva foi tanta que a Condessa preparou uma armadilha para matar Emília. Só que Bernardo vai no lugar da amada e, vítima de um acidente, é dado como morto. Porém, a verdade sobre a morte dele sempre foi uma incógnita.

O tempo passa e, acreditando que estaria protegendo a filha da temida avó, Emília a coloca em um convento. Mas o destino está preparando uma peça para todos os envolvidos nesta história. A vida da personagem de Ana Beatriz Nogueira será um vale de lágrimas e a atriz brinca com isso. "Tudo o que fiz os outros sofrerem nas outras novelas, vou pagar nessa".

A sua personagem tem uma história de sofrimento muito grande. Como você se preparou para isso?

Ana Beatriz Nogueira - É verdade. Ela só sofre, a coitada (risos). Está pagando por todas as mulheres ruins que interpretei na minha carreira. Tudo o que fiz os outros sofrerem nas outras novelas, vou pagar nessa (risos). Fazer o quê? É drama mesmo.

Mas, na segunda fase da trama, ela poderá ter um outro tipo de vida? Você já sabe como ela vai voltar?

Ana - Não sei se posso falar. A sinopse ainda pode mudar.

Você tem vivido personagens muito intensas. A que atribui isso?

Ana - Alguém precisa fazê-los. Então, estamos aí.

Você tem projetos em paralelo com a novela?

Ana - Acabei de fazer duas peças. Uma delas era com o Guilherme Leme e a outra foi um monólogo. Agora, vou parar um pouquinho para me dedicar a "Além do Tempo". Principalmente porque um monólogo é muito difícil de conciliar com novela.

Você tem dirigido clipes. Pretende atuar como diretora?

Ana - Dirijo pontualmente, mas não tenho planos de seguir carreira como diretora. Faço quando alguém me convida e acho interessante. Gosto muito de música, tenho vários amigos músicos. Já dirigi clipes, shows, recitais de poesia, mas afetivamente, porque gostava especificamente daquele projeto. Não porque tenha um plano de virar diretora.

A novela fala sobre o que fazer ao ter uma segunda chance. Você já pensou no que faria se pudesse ter uma nova vida?

Ana - Não estou dando conta nem dessa vida direito... (risos)

Acredita em reencarnação?

Ana - Acredito em tudo. Acho tudo possível.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias