Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Segunda 20 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2017
mrv

Papel da atriz Lucy Ramos lutará contra o preconceito

02 JUN 2015 - 08h00

Sofisticada, viajada, estudiosa e bem-sucedida. Assim é a psicóloga Patrícia (Lucy Ramos), melhor amiga de Margot (Maria Casadevall) na novela "I Love Paraisópolis" (Globo). O telespectador vai conhecer a história da profissional aos poucos. A moça é batalhadora, luta pelo que acredita e vai bater de frente com o preconceito racial. Qualquer semelhança com a vida real da atriz que a interpreta não é mera coincidência.

Basta saber que Lucy deixou de fazer um papel em "Babilônia", na qual viveria uma moradora da comunidade, para ficar com a psicóloga de "I Love Paraisópolis", personagem bem diferente de tudo que ela já fez na telinha. A história que consta é que Lucy, negra, cansou de fazer papéis de empregada, escrava ou de moradora de comunidade. Ela teria dito não para a direção de "Babilônia" e optou por ficar com a bela Patrícia. Segundo a atriz, não foi bem assim.

"Eu iria realmente fazer 'Babilônia', mas, de repente, apareceu essa psicóloga e a casa optou por me mandar para 'I Love Paraisópolis'. Achei ótimo, claro. Já fazia tempo que queria algo diferente. É uma personagem que qualquer pessoa poderia interpretar, independentemente do gênero e da cor. Não é um papel que teria de ser feito por uma negra. Não estava escrito 'negra' no roteiro. Essa é minha felicidade. Nós (atores negros) podemos fazer qualquer tipo de papel", argumenta.

Lucy faz questão de deixar claro que não está desdenhando dos papéis que já fez na TV. "Não sou ingrata. Amei fazer a Adelaide de 'Sinhá Moça' (2006) e a cozinheira Maria Cesária de 'Cordel Encantado' (2011), que virou a mulher de um rei, por exemplo. Os meus trabalhos até agora só me renderam ótimos frutos, mas realmente não vejo problema em querer fazer algo diferente, fugir de um estereótipo. É uma luta que nós, negros, temos de enfrentar. Patrícia se formou na USP, fez pós-graduação na Inglaterra e mora no Morumbi.", conclui.

O autor da trama, Alcides Nogueira, lembra que a vida é assim. "Podemos ver pessoas negras nas mais distintas profissões. A novela tem de estar de acordo com seu tempo. Vamos falar de preconceito, que também existe. Não dá para negar. É a personagem da Lucy que vai lutar contra isso na trama".

Lucy não quis dar mais detalhes sobre a história da personagem. "Não quero estragar a surpresa da trama, mas ela combaterá, sim, o preconceito. Só não vou contar como acontecerá", despista a bela.

Madeixas

A nova personagem de Lucy é diferente de tudo que ela já fez, mas os seus cabelos continuam volumosos e cacheados e, óbvio, despertando a curiosidade de muita gente. "O segredo é saber aplicar o produto que ajuda acachear. Aprendi a passar o creme camada por camada. Hidrato bastante e uso mel (no creme) para deixar maismacio", conta.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias