Envie seu vídeo(11) 97569-1373
quarta 20 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2019
COLÉGIO PLENITUDE
COLEGIO CETES 15/10 A 15/01/20
PMMC MIGO
PMMC NOVEMBRO AZUL
PMMC SEGURANÇA
COLUNA

Sueli Barão

É evangélica, professora escreve aos domingos

Os desertos da vida

10 SET 2017 - 06h00
O que os "desertos" representam na nossa vida? Há momentos difíceis que julgamos intermináveis. Então, precisamos de ajuda para podermos continuar. São momentos em que até os mais confiantes sentem-se abalados. Nesses momentos parece impossível acreditar que as coisas vão mudar ou melhorar. Qual de nós já não se sentiu algum dia assim?! Por que temos que passar pelo "deserto"? No "deserto" passamos por provas, mas de lá também pode vir a vitória, se nos mantivermos firmados em Deus e em Sua Palavra. Antes de começar o seu Ministério, Jesus foi levado ao deserto para ser tentado. Em tudo foi tentado, contudo não pecou. Qual tem sido o seu "deserto"? Seja qual for, Deus não o abandonou, embora muitas vezes você sinta dessa forma. Quando Jesus saiu do deserto, saiu como vencedor, porque Ele não creu naquilo que os seus olhos viam, mas sim nas palavras que vinham de Deus. (Mateus 4:4) Parece que todas as portas estão fechadas? Parece que aquilo que você tanto espera não vai acontecer? Creia que você não depende de recursos humanos, mas de Deus! Ele é quem vai dar a última palavra. Se você pode crer que Ele é fiel para completar a obra que começou em sua vida; então, fique em paz e veja o grande livramento que Ele vai dar. Na nossa infantilidade espiritual, julgamos que seria muito bom se não precisássemos passar por tempos difíceis; no entanto, Deus conhece aquilo que, de fato, precisamos e não nos deixará sozinhos nos desertos da vida. 
Depois que Moisés e os israelitas atravessaram o Mar Vermelho, fugindo dos egípcios, foram para o deserto de Sur e por ali andaram três dias sem achar água. Aparentemente, estava tudo perdido. Imagine andar pelo deserto sem água! Mas, finalmente, chegaram a Mara e acharam água por lá. Só que não puderam beber daquela água, porque ela era amarga. Por isso aquele lugar levou o nome de Mara, que quer dizer "amargor". Ali o povo se rebelou contra Moisés. Murmurou sem parar: - "Moisés, vamos ter de morrer de sede?" Eles já tinham visto Deus realizando coisas incríveis na vida deles; no entanto, deixaram-se levar pelo aparente, pelo momento presente. Esqueceram-se de tudo o que Deus já havia feito por eles, dos livramentos que havia dado. Moisés pediu ajuda ao Senhor, e o Senhor mostrou a ele uma árvore. Moisés jogou a árvore na água, e a água se tornou doce. Diz o texto de Êxodo 15:22-27 que Deus colocou as águas de Mara no caminho dos israelitas, porque quis provar a disposição do povo para com Ele. Na verdade, Deus tinha mais, muitas bênçãos para o seu povo. Em Elim, onde acamparam posteriormente, havia 12 fontes de água e 70 palmeiras. Um oásis. Mara foi só um "deserto". Mas para usufruirmos das bênçãos precisamos suportar o "deserto", sem murmurar. 
Querido leitor, Deus pode dar fim a esse "deserto". Tire, portanto, toda a amargura do coração. A amargura é como uma água salobra. Em vez de murmurar, clame ao Senhor, crendo que Ele está ouvindo a sua oração. Talvez você imagine estar sozinho em seu sofrimento, mas não é verdade. Se Deus permite o "deserto" na nossa vida é para nosso crescimento. Há sempre um fim proveitoso. O que você está vivendo hoje são apenas momentos, que vão passar! Creia!
Pmmc maternidade
BANNER APS DESKTOP
PMMC MIGO
PMMC SEGURANÇA

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias