Envie seu vídeo(11) 97569-1373
segunda 18 de novembro de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 16/11/2019
Pmmc Refis 2019
CENTRO ONCOLÓGICO
COLÉGIO PLENITUDE
CENTERPLEX 1411 A 2011
Pmmc maternidade
COLUNA

Rodrigo Ashiuchi

Rodrigo Ashiuchi é prefeito de Suzano

Suzano fora da crise fiscal

03 MAI 2018 - 00h59
A grave crise econômica que se abateu sobre o país nos últimos anos tem afetado duramente a capacidade fiscal dos municípios, Estados e da União. O resultado foi uma brutal queda de arrecadação e encarecimento da folha de pagamento do funcionalismo. Um levantamento feito no início deste ano mostra que, desde 2015, os Estados saíram de um resultado positivo de R$ 16 bilhões para um rombo de R$ 60 bilhões. No caso dos municípios, a situação é mais grave ainda: de acordo com um levantamento da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) do ano passado, 85% deles apresentaram situação fiscal difícil ou crítica em 2016. E são justamente os municípios os responsáveis pelos serviços públicos que afetam diretamente a qualidade de vida dos cidadãos.
Suzano, no entanto, conseguiu ficar fora dessa tendência de desequilíbrio graças a um bom trabalho de gestão da Prefeitura. De acordo com o site Tesouro Transparente, do Ministério da Fazenda, nossa cidade foi classificada com o “conceito A” na Capacidade de Pagamento (Capag), que apresenta uma simulação da situação fiscal a respeito de sua capacidade para obter créditos. O Tesouro também mostra que o município apresenta excelentes condições de adimplência financeira, encaminhamento das contas anuais, aplicação mínima de recursos em educação e saúde.
Segundo dados disponíveis pelo Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi), foram três os indicadores que levaram o município a alcançar a nota “A” na simulação: 10,17% de dívida consolidada/receita corrente líquida (Indicador I); 85,58% na despesa corrente/receita corrente (Indicador II); e 98,67% nas obrigações financeiras/disponibilidade de caixa (Indicador III). Suzano ainda alcançou o índice 42,18% em despesa com pessoal, ficando bem abaixo do limite de alerta, que é de 48,6%.
Esta situação de equilíbrio fiscal é um motivo de grande orgulho para a administração municipal e para todos os suzanenses. É a prova irrefutável de que estamos nos pautando pela eficiência, eficácia, rapidez de gestão e transparência no trato da coisa pública. O resultado é essa pontuação, que habilita o município a receber empréstimos e a fazer operações de créditos nacionais e internacionais.
Já começamos a usufruir dessa condição privilegiada. A Marginal do Una, por exemplo, era uma obra que estava paralisada há anos. Graças à nota “A” que Suzano obteve no ranking Capag do Tesouro Nacional, foi possível obter, junto à Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP), um financiamento de R$ 12 milhões. A conclusão dessa obra mudará radicalmente o trânsito na região central da cidade.
A nota “A” que Suzano conquistou no ranking Capag do Tesouro Nacional é um fato inédito na região do Alto Tietê. Estamos à frente do Estado de São Paulo e da própria capital nesse quesito.
Estes resultados mostram que Suzano não apenas fez as coisas de maneira correta, mas também que fez as coisas certas.
Pmmc Refis 2019
PMMC MIGO
BANNER APS DESKTOP
PMMC SEGURANÇA

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias