domingo 14 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Destaque

Licenciamento ambiental do Ferroanel é aberto para consulta

24 junho 2017 - 08h01

O Contorno Ferroviário da Região Metropolitana de São Paulo, ou "Ferroanel", inicia uma nova fase em seu processo de implantação. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o diretor-presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), José Carlos Medaglia Filho, entregaram conjuntamente, ontem, no Palácio dos Bandeirantes, o Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) do Trecho Norte do anel ferroviário ("Ferroanel Norte") ao Conselho Estadual do Meio Ambiente. No Alto Tietê, o anel ferroviário passará em Arujá e Itaquaquecetuba. O ato marca a abertura da etapa pública do licenciamento ambiental do empreendimento. "O Ferroanel é estratégico. Em São Paulo, vai possibilitar a separação da linha de transporte de cargas da linha para passageiros da CPTM - hoje, elas compartilham os mesmos trilhos, que passam por dentro da Estação da Luz. Mas é uma obra importante também para todo o país, pois vai melhorar o transporte de carga que parte de vários Estados para o porto de Santos", afirmou o governador. O EIA e o Rima servirão como base para as análises de viabilidade ambiental do empreendimento e sua discussão com a população. O Estudo foi preparado pela Dersa - Desenvolvimento Rodoviário, empresa vinculada ao Governo do Estado de São Paulo, com recursos repassados pela EPL, companhia estatal federal. A partir de agora, os documentos estarão disponíveis para consulta no website da Dersa (www.dersa.sp.gov.br) e seus conteúdos serão discutidos em audiências públicas que acontecerão entre julho e agosto, nos municípios de São Paulo, Guarulhos, Arujá e Itaquaquecetuba, localidades que serão cortadas pelo traçado dos futuros trilhos. O Ferroanel Norte será um ramal ferroviário de 53 quilômetros de extensão que interligará as estações de Perus, em São Paulo, e de Manoel Feio, em Itaquaquecetuba, em área contígua ao traçado do Rodoanel. Sua implantação possibilitará que os trens de carga que hoje compartilham os mesmos trilhos com os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) sejam desviados, eliminando o conflito entre cargas e passageiros nos trilhos que cortam o interior da metrópole. O novo ramal permitirá a movimentação de cargas do interior do Estado para o Porto de Santos, bem como a passagem de comboios entre o interior e o Vale do Paraíba. A transposição da Região Metropolitana de São Paulo em uma via dedicada terá a função de transferir cargas, hoje rodoviárias, para o modo ferroviário. As projeções indicam a retirada, a médio prazo, de 2,8 mil caminhões/dia das estradas, com boa possibilidade de esse número superar 7,3 mil caminhões/dia ao longo do tempo.