sábado 24 de fevereiro de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/02/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Copa do Mundo do Catar 2022

Brasil perde nos pênaltis e volta a ser eliminado nas quartas de final

Neymar fez 1 a 0 no fim do primeiro tempo de prorrogação, mas croatas empataram. Nos pênaltis, Rodrygo e Marquinhos perderam

09 dezembro 2022 - 14h57Por Fernando Barreto - da Redação

O pesadelo das quartas de final ainda assombra o Brasil. A seleção caiu para a Croácia, nesta sexta-feira, nos pênaltis e adia sonho de conquistar o hexacampeonato mundial. 

Partida foi difícil no primeiro tempo. Melhorou na segunda etapa, mas não saiu do 0 a 0. Na prorrogação, a seleção foi avassaladora, fez 1 a 0 com Neymar, em bela jogada. Mas nos 15 minutos finais, cedeu empate. 

Nos pênaltis, Rodrygo, que abriu as cobranças, perdeu. Os croatas acertaram os quatro chutes seguintes. Assim Marquinhos, o quarto cobrador brasileiro, precisava fazer, mas chutou na trave.

Essa é quarta eliminação nas quartas de final e quinta eliminação para uma seleção europeia. Em 2006 a seleção caiu para a França, em jogo marcado pela falha de Roberto Carlos ao marcar Henry. Em 2010 sofremos para a Holanda, com um primeiro tempo da seleção digno de elogios. Em 2014 passamos, mas levamos o 7 a 1. E na última edição o álgoz foi a Bélgica.

O Brasil segue para casa. E a Croácia vai aguardar o rival, que sai de Holanda e Argentina, em partida nesta sexta às 16 horas.

Primeiro tempo

O primeiro tempo de jogo foi difícil para a seleção brasileira. A posse de bola brasileira e retranca croata que se esperava não aconteceu. Os adversários fizeram durante todo o primeiro tempo marcação média, dificultando muito a troca de passes do Brasil, principalmente no meio campo.

Modric e Juranovic foram os nomes desse primeiro tempo. Ou seja, os croatas se saíram melhor. O Brasil não conseguia desenvolver a bola, e quando tentava, sofria. 

A primeira grande chance saiu aos 12 minutos, com a Croácia. Juranovic recebeu na ponta direita e cruzou para a área, mas nem Perisic nem Sosa conseguiram chutas. E assim se seguiu, com a seleção com dificuldade de trocar passes. Vini Jr. e Raphinha apagados, mas foi com o ponta do Real Madrid que o Brasil conseguiu ameaçar. 

Aos 20 minutos, Vini Jr. invadiu a área, tabelou com Richarlison e chutou, mas prensado, e sem força para estufar as redes. Antes, Vini também teve outra grande chance, quando poderia ter chutado a gol, mas preferiu o passe e errou.

Aos 35 minutos, um momento inusitado. O Brasil começou apenas a correr atrás da bola e assistia os croatas trocarem passes, por três minutos aproximadamente. O meio campo croata composto por Modric, Kovacic e Brozovic ditaram o ritmo. 

Mas a partida seguiu para o intervalo em 0 a 0.

Segundo tempo

Se faltou vontade, criatividade e chances no primeiro tempo para o Brasil, no segundo foi completamente diferente. A seleção teve pelo menos 6 grandes chances de marcar e até ampliar o placar.

Tite promoveu três mudanças, duas que surtiram efeito imediato. O técnico trocou Vini Jr. por Rodrygo e Raphinha por Antony. Mais no final, colocou Pedro no lugar de Richarlison.

Mas o grande nome do segundo tempo foi o goleiro da Croácia, Livakovic. 

Logo com 1 minuto de jogo. Raphinha, em um dos poucos bons momentos, cruzou para a área e o próprio zagueiro da Croácia chutou pro gol, mas o goleiro croata defendeu com os pés.

Logo em seguida, aos 3 minutos, jogada entre Vini Jr. e Neymar, o camisa 10 tabelou, poderia ter devolvido, mas chutou, para defesa do goleiro. Nesse lance, a arbitragem analisou possível pênalti, mas não marcou.

O Brasil criou chances, mas o goleiro croata defendeu.

Prorrogação

A partida na prorrogação foi intensa, com a seleção afogando os adversários no campo de defesa. E foi asism, em jogada de Neymar, que o primeiro gol saiu, já no fim do primeiro tempo da prorrogação.

Em tabela com Rodrygo, o camisa 10 deixou o goleiro para trás e chutou, para delírio de todos.

Com o placar favorável, a seleção recuou. Os croatas vieram para o ataque e também no fim do segundo tempo da prorrogação, conseguiu, em contra-ataque fulminante, fazer com Petkovic, que havia entrado.

Pênaltis

A decisão das penalidades foi um terror, novamente, para o Brasil. Alisson não conseguiu defender nenhuma das 4 cobranças, de cinco possíveis, da Croácia. 

Já o Brasil, no primeiro chute, com Rodrygo, que fez um excelente jogo, perdeu. Marquinhos, na quarta cobrança, não podendo errar, chutou na trave.

O Brasil está eliminado e agora terá de esperar até 2026 para tentar o sonhado hexa campeonato.

Deixe seu Comentário

Leia Também