Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2017
mrv

Dilma se defende e diz que ‘a eleição acabou’

10 MAR 2015 - 08h00

 Às vésperas da realização de uma série de manifestações pró-impeachment em diversas cidades brasileiras, marcadas para domingo, a presidente Dilma Rousseff (PT) disse ontem que a sociedade brasileira está amadurecida e não vai aceitar "rupturas democráticas". Dilma, no entanto, afirmou que os panelaços promovidos por brasileiros no último domingo à noite durante a exibição do seu pronunciamento é fato "da regra democrática" e que não vê motivos para o impeachment.

"Eu acho que há de caracterizar razões para o impeachment, e não o terceiro turno das eleições. O que não é possível no Brasil é a gente também não aceitar a regra do jogo democrático. A eleição acabou, houve o primeiro e o segundo turno", disse Dilma a jornalistas, depois de participar de solenidade no Palácio do Planalto em que sancionou lei que tipifica o crime do feminicídio.

"Terceiro turno das eleições para qualquer cidadão brasileiro não pode ocorrer, a não ser que você queira uma ruptura democrática. Se quiser uma ruptura democrática, eu acredito que a sociedade brasileira não aceitará rupturas democráticas e acho que nós amadurecemos suficiente para isso", prosseguiu a presidente.

Questionada se as manifestações pró-impeachment seriam legítimas, Dilma respondeu: "A manifestação vai ter as características que tiver seus convocadores. Ela em si não representa nem a legalidade nem a legitimidade de pedidos que rompem a democracia."

Sobre a manifestação de brasileiros com "panelaços" e vaias durante a transmissão do pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão no último domingo, Dilma disse que na democracia é preciso "conviver com a diferença".

"O Brasil tem uma característica que todos nós temos de valorizar, que é o fato de que aqui as pessoas podem se manifestar, e têm espaço e direito a isso",x

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias