Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Sexta 24 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/11/2017
mrv

Filho de Geraldo Alckmin é enterrado em Pindamonhangaba

04 ABR 2015 - 08h00

 O corpo do filho caçula do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), Thomaz Rodrigues Alckmin, morto em acidente com helicóptero em Carapicuíba na quinta-feira, foi enterrado ontem, por volta das 19 horas, na cidade de Pindamonhangaba, a 156 Km de São Paulo. No mesmo túmulo em que Thomaz foi sepultado estão enterrados os pais do governador, Geraldo José Rodrigues Alckmin, morto em 1998, e Miriam Alckmin, que morreu em 1963, além da babá do governador que ajudou a criá-lo após a morte da mãe, quando ele tinha 11 anos, Thereza Faria Santos, que faleceu em janeiro deste ano.

Thomaz era casado há quatro anos com a arquiteta Thais Fantato e deixa duas filhas, uma de aproximadamente um mês de vida e outra de 10 anos, a qual a chegada à cidade do interior era aguardada para a realização do enterro, uma vez que a menina mora na Noruega e veio às pressas para a despedida.

Autoridades passaram pelo velório, dentre eles o senador suplente José Aníbal (PSDB), o ministro das Cidades, Gilberto Kassab; o ministro da Justiça, Eduardo Cardozo; o ministro da Comunicação, Edinho Silva; o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad; o presidente da Fiesp, Paulo Skaf; o deputado Orlando Morando, o comediante Tom Cavalcanti, o vice-governador do estado, Márcio França; o secretário da Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes; o secretário da Casa Militar, José Roberto Rodrigues de Oliveira; o secretário Municipal da Educação, Gabriel Chalita, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, José Renato Nalini; o empresário João Doria Jr. e o cantor e apresentador Ronnie Von.

De acordo com pessoas presentes ao cortejo, o governador e a primeira-dama, Lú Alckmin, estavam muito abatidos.

seripatri

A Seripatri, empresa responsável pelo helicóptero que caiu quinta-feira e vitimou Thomaz Alckmin, esclareceu que ele não estava como copiloto no momento do acidente e sim como convidado do piloto e tripulante, pois o modelo da aeronave 'Single pilot' não possui espaço para um auxiliar do piloto.

Segundo a empresa, o acidente ocorreu durante voo de teste, após a aeronave passar por manutenção preventiva. "O helicóptero, da marca Eurocopter, modelo EC 155, prefixo PPLLS, tinha cerca de quatro anos de uso, com aproximadamente 600 horas de voo e estava com sua documentação e manutenção rigorosamente em ordem. Neste momento de luto e enorme tristeza para todos, a Seripatri presta suas condolências a todas as famílias das vítimas", diz o texto divulgado pela empresa.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias