Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Quarta 13 de Dezembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 13/12/2017
mrv

Papel dos Brics deve ser reforçado em meio à crise global, diz Dilma

10 JUL 2015 - 08h01

 A presidente Dilma Rousseff (PT) defende que, diante da crise econômica global, o papel das cinco maiores economias emergentes do mundo deve ser reforçado. A defesa foi feita na abertura da reunião de chefes de Estado dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) com o conselho empresarial do grupo. Dilma argumenta que o aumento dos fluxos comerciais e de investimentos entre os países do bloco trará benefícios aos cinco membros e ao mundo.

"Neste momento de crise internacional, devemos reforçar cada vez mais o papel dos Brics tão importante para o desenvolvimento global. Para tanto, o comércio e os investimentos serão fundamentais", disse Dilma no discurso. A presidente citou que, juntos, Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul já são parte de cerca de 40% dos fluxos do mundo. "A intensificação dos fluxos entre nós trará benefícios para nossas economias no cenário internacional e também para o mundo", disse.

Diante desse papel a ser exercido, Dilma exaltou a iniciativa de criação do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), mais conhecido como banco dos Brics, e instrumentos como o acordo para o contingente de reservas internacionais. As iniciativas estão sendo regulamentadas e o funcionamento começará em breve.

infraestrutura

O NBD poderá ajudar a reduzir o déficit de infraestrutura nos países em desenvolvimento, afirmou ainda durante o discurso a presidente Dilma. A presidente negou, porém, que recursos poderiam ser direcionados a países desenvolvidos.

Dilma mencionou no discurso que há estudos que citam que países em desenvolvimento poderiam precisar de US$ 1 trilhão por ano para projetos de infraestrutura até 2020. "Atingir esse valor não será tarefa simples. O investimento estrangeiro global caiu quase 50% nos últimos cinco anos. É nesse cenário que o novo banco de desenvolvimento dos Brics terá papel importante", disse

Sem citar a Grécia, a presidente descartou a hipótese - levantada por alguns veículos de comunicação russos - de que o banco dos Brics poderia emprestar dinheiro a Atenas. Segundo Dilma, a instituição tratará de "projetos de infraestrutura e desenvolvimento sustentável inicialmente em nossos países e posteriormente em outros países em desenvolvimento".

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias