Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/11/2017
mrv

Renan: governo deve modificar aposentadoria

19 JUN 2015 - 08h00

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse ontem que cabe ao Congresso Nacional mudar a medida provisória (MP) editada ontem pelo governo para evitar que a progressividade no cálculo das aposentadorias não "acabe comendo" a fórmula 85/95. "O fundamental é que a medida provisória seja aprimorada no Congresso Nacional. Ela parte do 85/95, e isso já é um avanço. O que precisamos é mudar a regra da progressividade para que ela não acabe comendo o 85/95. Esse é o papel do Congresso", disse Renan, após a missa de corpo presente do ex-deputado Paes de Andrade, que morreu na última quarta-feira.

Já o líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral (PT-MS), disse que a presidente Dilma Rousseff (PT) encontrou uma solução "bastante razoável" para a regra das aposentadorias. "Foi importante, o governo compreendeu a decisão do Congresso, mantendo o 85/95". Segundo Delcídio, a regra de progressão acompanha o aumento da expectativa de vida da população. "É uma coisa absolutamente razoável", afirmou.

Com a edição da MP, a nova regra para o cálculo das aposentadorias começa a valer imediatamente, com a chamada fórmula 85/95. A partir de agora, para se aposentar com direito ao benefício integral, o trabalhador deve somar o tempo de contribuição e a idade até chegar a 85, para as mulheres, e 95, no caso dos homens. A partir de 2017, segundo a MP, o cálculo será acrescido de um ponto a cada dois anos, até 2019. Daí em diante, um ponto a cada ano até chegar a 90 (mulheres)/100 (homens), em 2022.

Pelo cálculos do governo, a regra da progressividade, atrelada à fórmula 85/95, reduzirá o impacto nas contas da Previdência em R$ 50 bilhões até 2026.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias