Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Terça 21 de Novembro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/11/2017
mrv

Suíça congela US$ 400 milhões relacionados a esquema da Petrobras

19 MAR 2015 - 08h00

A Suíça anunciou ontem a devolução ao Brasil de US$ 120 milhões em razão das investigações relacionadas com esquema de desvios na Petrobras e congelou um total de US$ 400 milhões, cerca de R$ 1,3 bilhão, mantidos em contas bancárias no país. O Ministério Público do país europeu revelou que 300 contas foram identificadas com movimentações suspeitas e que o esquema envolveu mais de 30 bancos na Suíça. Os responsáveis pelas contas seriam executivos da estatal e fornecedores.

Em entrevista coletiva realizada na manhã de ontem, na sede na Procuradoria-Geral da República, em Brasília, o procurador-geral da Suíça, Michel Lauber, disse que o MP suíço está analisando cerca de mil transações bancárias que têm relação com bancos suíços para verificar se elas estão ligadas a desvios de recursos da Petrobras. Esse acompanhamento envolve bancos suíços e de outros países, num total de 30 instituições financeiras. O procurador disse ainda que está trabalhando em relatórios que possam ajudar a levantar depósitos que tenham origem ilícita. "Não toleramos o uso indevido do sistema bancário suíço para uso de corrupção e lavagem de dinheiro", disse Lauber.

Até agora, a Procuradoria suíça descobriu mais de 300 contas em mais de 30 instituições bancárias naquele país que foram aparentemente usadas para processar o pagamento de propinas sob investigação no Brasil. "Os donos dessas contas, na maioria das vezes em nome de empresas, são executivos de alto escalão da Petrobras e fornecedores, intermediários financeiros, brasileiros e outras empresas estrangeiras que pagaram propinas", indicou o órgão.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias