sábado 24 de fevereiro de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 24/02/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Celulares eram jogados sobre muros do CDP

CDP 'freia' arremessos de celulares sobre muros e derruba apreensões

Significativa redução ocorreu após "detecção de problema" da segurança

30 janeiro 2023 - 07h34Por Daniel Marques - de Suzano

O Centro de Detenção Provisória de Suzano (CDP) precisou corrigir um sério problema de arremessos de celulares sobre os muros da unidade, que resultou em uma redução de 96% no número de apreensões de aparelhos de 2021 para 2022.

No ano retrasado, foram recolhidos 210 celulares pelos funcionários do CDP. Em todo o ano de 2022, apenas oito aparelhos foram apreendidos. A média mensal de apreensões caiu de 17 aparelhos para menos de um. A média trimestral mostra uma redução de 52 celulares para apenas dois.

A redução é impressionante e questionável. O DS entrou em contato com a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) que cedeu os dados para a reportagem. Em nota, a pasta confirmou os dados apresentados e informou que “grande parte dos celulares apreendidos em 2021 no Centro de Detenção Provisória de Suzano foi proveniente de arremessos externos feitos por indivíduos que jogam pacotes com os ilícitos”.

Ainda no documento, a SAP afirmou que os celulares apreendidos foram recolhidos pelos policiais penais e que os reeducandos não tiveram acesso aos telefones. “O Núcleo de Inteligência Regional detectou o problema e reforçou ainda mais os procedimentos de segurança, o que resultou na diminuição das tentativas de burlar a vigilância da unidade”, declarou a SAP.

O DS questionou a pasta sobre qual seria o problema detectado. Por telefone, a assessoria de imprensa da SAP informou que não poderia revelar detalhes sobre esse problema, já que isso favoreceria criminosos que poderiam encontrar outras alternativas para acessar os aparelhos.

A pasta também disse que os CDPs são equipados com escâner corporal, aparelhos de raio-x e detectores de metais para coibir ocorrências. “A SAP mantém suas ações preventivas e vem reforçando seus procedimentos para impedir a entrada de drogas e eletrônicos nos presídios paulistas”.

O DS conversou com o especialista em segurança pública e privada, Jorge Lordello, que classificou como “amador” o fato de tantos aparelhos terem sido arremessados sobre os muros do CDP de Suzano sem que isso fosse impedido com meios tecnológicos e rondas nas imediações da unidade prisional.

“A gente sabe que arremesso existe, mas nos dias de hoje com câmeras e equipamentos que controlam a circulação fora do CDP, é extremamente amador. A modalidade existe, mas não conseguir impedir isso é uma coisa absurda. Com equipamentos e câmeras, facilmente você conseguiria. Se colocar gradis, câmeras, detecta (os arremessos). E as muralhas, ninguém está olhando?”, questionou.

Para efeito de comparação, no mesmo período do balanço realizado em Suzano, o CDP de Mogi das Cruzes teve aumento de um celular para três. De acordo com a SAP, a unidade que apreende celulares registra a ocorrência na delegacia local e instaura um procedimento disciplinar investigatório.

A pasta diz que o recluso, dependendo do entendimento do juiz e do resultado da apuração, pode ter seu pedido de progressão de pena prejudicado, não ter autorizada a saída temporária (caso ele esteja no semiaberto), perder o período de remição de pena, entre outras sanções.