segunda 15 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Delegacia de Homicídios

Suspeito de assassinar, decepar e carbonizar homem é identificado e preso em Itaquá

Vítima, ainda não identificada, foi encontrada com membros decepados e corpo carbonizado em campo de futebol na Avenida Quarto Centenário, no bairro Pedreira

09 agosto 2017 - 12h09Por Marcus Pontes - De Itaquá

A Delegacia de Homicídios de Mogi das Cruzes identificou o suspeito de assassinar, decepar e carbonizar um homem, ainda não identificado, em 2014. Na época do crime, o corpo foi encontrado em um campo de futebol localizado na Avenida Quarto Centenário, no bairro Pedreira, em Itaquaquecetuba. Segundo o delegado Rubens Ângelo, a prisão temporária de 30 dias do suspeito foi decretada pela Justiça.

O delegado explica que a confirmação da autoria no crime foi possível depois que uma denúncia anônima apontou indícios que o colocava no dia e local da morte. Disse também que o homicídio aconteceu por causa de uma suposta suspeita de que a vítima teria tentado roubar e estuprar a esposa do suspeito do assassinato.

“O autor é bem frio quando diz que matou por supor que a esposa teria sido abordada por esta vítima, que ainda não foi identificada pelas condições em que foi encontrado”.

Ângelo conta que, a princípio, a vítima foi jogada de uma pedreira que mede aproximadamente 20 metros de altura. Logo em seguida, o autor desceu e decepou a mão e o órgão genital do homem, ainda não identificado. Não é possível confirmar quando, de fato, o homicídio foi cometido. Mas a Polícia Militar (PM) localizou o cadáver no dia 25 de novembro de 2014.

“Mesmo após três anos, não pudemos identificar a vítima. O corpo foi carbonizado, mas é possível observar que dois membros foram decepados”, disse o delegado.

O suspeito está preso temporariamente no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Suzano. Ainda segundo o delegado, o homem tem passagem na Justiça por tráfico de drogas. 

Deixe seu Comentário

Leia Também