quinta 18 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 18/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Região

Casos de mortes violentas crescem 5% na região, aponta SSP

Em 2017, foram registrados 105 casos, sendo 92 homicídios e 13 latrocínios. No ano passado foram 100 ocorrências

14 outubro 2017 - 12h20Por Da Região
O número de mortes violentas na região, de janeiro a agosto deste ano, aumentou 5% em relação ao mesmo período de 2016. Em 2017, foram registrados 105 casos, sendo 92 homicídios e 13 latrocínios. Já no ano passado, 100 ocorrências foram contabilizadas, sendo 94 assassinatos e seis de roubo seguido de morte. Em relação aos dados de homicídio houve uma queda de 2,13% entre os períodos. Por outro lado, latrocínio cresceu 116,67%. Os dados são da Secretaria do Estado de Segurança Pública (SSP).
 
Suzano teve o maior registro de mortes violentas da região, com 26 casos computados neste ano. Foram 26 homicídios e três latrocínios. A cidade computou um aumento de 116,67% nos assassinatos, já que, no ano passado, computou 12 casos. Com relação aos roubos seguido de morte, o município contabilizou um crescimento de 50%, passando de dois para três registros.
 
Itaquaquecetuba tem o segundo maior índice de mortes violentas do Alto Tietê, com 22 casos. Apesar do alto número, a cidade teve uma queda de 23,08% nos homicídios, com 20 registros neste ano e 26 no ano passado. Com relação aos casos de latrocínio, o município teve dois registros, em 2017, e um, em 2016.
O terceiro maior número é da cidade mogiana, com 15 mortes violentas. Apesar disso, os casos de homicídios e latrocínios tiveram queda, com 31,82% e 100%, respectivamente. Isso porque no ano passado, o município contabilizou 22 assassinatos e, neste ano, o número caiu para 15. Com relação aos roubos seguidos de morte foi registrado um caso no ano passado e nenhum, em 2017.
 
Duas cidades da região não contabilizaram registros em nenhum dos dois casos. Biritiba e Salesópolis se mantiveram zerados, mesmo cenário do ano passado em Salesópolis. Já Biritiba Mirim havia contabilizado um homicídio no ano passado. 
 
Latrocínio
Poá é um dos municípios que chama a atenção por computar um crescimento de 150% no número de latrocínios. Foram dois casos no ano passado e cinco, em 2017. 
 
Além de Poá, Arujá, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba e Santa Isabel tiveram aumento de registros, porém de 100%. Em Suzano, o crescimento foi de 50%.

Deixe seu Comentário

Leia Também