domingo 14 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Assassinatos na região

Com 69 casos, mortes violentas sobem 7% no Alto Tietê

Itaquaquecetuba e Suzano são as cidades mais violentas da região

17 julho 2017 - 06h39Por Pâmela Queiróz - da Região

O Alto Tietê registrou 69 mortes violentas (homicídio e latrocínio) durante os cinco primeiros meses deste ano. O índice subiu 7,81% em relação ao ano passado, quando foram registrados 64 óbitos. Até agora, Itaquaquecetuba e Suzano são as cidades mais violentas da região, com 18 e 17 vítimas fatais, respectivamente. No mesmo período, em 2016, as cidades mais perigosas eram Itaquá, com 15 ocorrências e Ferraz de Vasconcelos com 14. Os dados são da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

Segundo o balanço, divulgado mensalmente, somados os cinco primeiro meses deste ano com o mesmo período de 2016, Itaquá registrou 33 casos, sendo 31 homicídios e dois latrocínios. Para se ter uma ideia, foram computados 16 homicídios neste ano contra 15 em 2016, além de dois casos de latrocínio em abril e maio deste ano. Em Suzano, foram registrados 14 homicídios e três latrocínios neste ano, enquanto, de janeiro a maio de 2016, registrou oito casos do primeiro delito e um do último. Nos dois anos são 26 ocorrências.

Mogi das Cruzes e Ferraz também aparecem no ranking das dez cidades como municípios que devem estar em alerta para o índice de mortes violentas. Isso porque elas registraram um total de 23 e 20 casos de homicídio e latrocínio nos dois anos, respectivamente. Outro dado que chama atenção são os 12 e 13 registros ocorridos em Arujá e Poá, ambas as cidades são consideradas pequenas. Entre os municípios mais seguros da região estão Guararema e Salesópolis, as duas não possuem registros de mortes violentas nos dois anos. Biritiba Mirim, por sua vez, registrou apenas um homicídio, no ano passado (veja mais detalhes na tabela).

 

ESTATÍSTICAS CRIMINAIS

De acordo com o balanço da pasta, o Estado teve redução nos indicadores de homicídio e roubos e furtos de veículo. As quedas foram registradas em maio e a SSP afirma que as taxas de casos e de vítimas de homicídio são novamente as mais baixas da série histórica. Ainda de acordo com ela, no quinto mês do ano, o número de casos de homicídio doloso caiu 5,15% em relação ao mesmo mês do ano passado. O total baixou de 272 para 258. A quantidade é a menor de toda a série histórica, iniciada em 2001.

O número de vítimas de homicídio apresentou queda de 1,8% em maio, passando de 278 para 273. Com as variações, as taxas de homicídios chegaram a 7,89 e 8,35 vítimas a cada grupo de 100 mil habitantes no período de junho de 2016 a maio deste ano. Já os roubos de veículo caíram 6,85% em maio. O total de ocorrências baixou de 6.302 para 5.870, com 432 a menos, sendo que no mês, os furtos de veículos apresentaram queda de 1,18% e o número de boletins de ocorrência caiu de 9.518 para 9.406.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também