sábado 22 de junho de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 22/06/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Região

Indústria do Alto Tietê demite em fevereiro com perda de 150 postos

Acumulado no ano permanece positivo, com saldo de 500 postos de trabalho gerados nas oito cidades

19 março 2019 - 20h51Por da Região
A indústria do Alto Tietê registrou saldo negativo no nível de emprego industrial no último mês. Pesquisa divulgada ontem pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) aponta uma variação de -0,23% na Região, o que significou uma queda de aproximadamente 150 postos de trabalho em fevereiro/2019.
 
Apesar do saldo negativo no último mês, a indústria da Região tem um acumulado no ano de 0,80%, representando um aumento de aproximadamente 500 postos de trabalho nas oito cidades que integram o CIESP Alto Tietê - Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis e Suzano.
 
O nível de emprego industrial no mês de fevereiro/2019 foi influenciado pelas variações negativas de Produtos Alimentícios (-3,48%); Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (-1,71%); Produtos Químicos (-1,09%); e Celulose, Papel e Produtos de Papel (-0,86%), que foram os setores que mais influenciaram o cálculo do indicador total da Região.
 
"Essa oscilação é esperada no início de um ano, principalmente porque a economia nacional permanece muito frágil. Das 36 regiões industriais do Estado, 20 registraram saldo negativo em fevereiro e, entre elas, o nosso indicador não está tão ruim. Esperamos que seja uma situação pontual e que a indústria siga gerando novas vagas", avalia José Francisco Caseiro, diretor do CIESP Alto Tietê.
 
O dirigente observa que o crescimento do emprego na indústria depende muito da aprovação da Reforma da Previdência. "É fundamental que ela aconteça para consolidar a confiança do mercado e as empresas continuem a investir", ressalta.
 
A tabela abaixo mostra o comportamento setorial dos meses de fevereiro de 2018 e 2019 e os acumulados no ano e em 12 meses.

Deixe seu Comentário

Leia Também