quarta 21 de fevereiro de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/02/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Região

Influenciador digital procura polícia após sofrer injúria racial em shopping de Mogi

Crime aconteceu na última sexta-feira (27)

01 fevereiro 2023 - 17h00Por Daniel Marques - de Mogi

O influenciador Guilherme Augusto Morais do Vale, conhecido como "Guilherme Vesgo", foi alvo de racismo dentro do Mogi Shopping. O crime aconteceu na última sexta-feira (27), mas só foi registrado na delegacia nesta terça-feira (31).

De acordo com o Boletim de Ocorrência, Guilherme estava com alguns amigos na Praça de Alimentação do shopping quando cerca de 10 pessoas que estavam na mesa ao lado começaram a ofendê-lo, sem motivo algum, proferindo palavras racistas, chamando-o de "negrinho e vesgo". 

A vítima se sentiu desconfortável e pediu para os amigos para irem embora, mas no estacionamento, se deparou novamente com os indivíduos. 

Com medo, Guilherme pediu para voltar para o interior do shopping e teve que informar aos seguranças que sofreu racismo para que eles autorizassem o retorno. 

O influenciador gravou um vídeo ao lado de seu advogado, logo após registrar o Boletim de Ocorrência, para informar que registrou o caso.

"Eu como negro, representante da classe negra, não posso deixar isso acontecer. Vai dar tudo certo, se Deus quiser. Vamos encontrar os autores deste delito", afirmou Guilherme.

Por telefone, uma representante informou que o Mogi Shopping "não compactua com nenhum tipo de discriminação e preconceito".

Em entrevista ao DS, o influenciador disse esperar que a justiça seja feita. “Por isso entrei com os advogados, para acelerar esse processo. Se os agressores tiveram a liberdade de fazer isso comigo, já devem ter feito com muitas outras pessoas”, disse.

Ele também disse ter se sentido “inseguro” pela falta de reação do segurança e do bombeiro que estavam no shopping. “Quando fui aos agressores falar que ‘já deu’, me senti impune pelo fato de o segurança e o bombeiro não fazerem nada e as pessoas que estavam em volta deixarem aquilo acontecer”, lamentou.

Deixe seu Comentário

Leia Também