segunda 15 de abril de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 14/04/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Região

Mogi prepara agentes para atuação na Patrulha Maria da Penha

Ação atenderá 100 guardas e faz parte das etapas para implantação do serviço de monitoramento da violência doméstica

19 outubro 2017 - 08h15Por De Mogi
A Prefeitura de Mogi das Cruzes iniciou o curso de capacitação para os guardas municipais sobre a Lei Maria da Penha. A ação atenderá 100 agentes e faz parte dos preparativos desenvolvidos pela administração municipal para a implantação da Patrulha Maria da Penha, prevista para acontecer ainda neste ano.
 
“O combate e a prevenção da violência contra a mulher são assuntos muito importantes e que merecem toda a atenção dos órgãos públicos. Estamos evoluindo com o trabalho para a implantação da Patrulha Maria da Penha, que atuará em conjunto com outros órgãos, como o Poder Judiciário. O trabalho em segurança pública é uma novidade e um aprendizado para os municípios e é preciso trabalhar em harmonia com todos os órgãos para o benefício da população”, afirmou o prefeito Marcus Melo (PSDB).
 
Os recursos financeiros destinados à capacitação da Guarda Municipal para atuar na Ronda Maria da Penha são provenientes do Governo Federal, que acolheu emenda parlamentar da deputada federal Keiko Ota, no valor de R$ 100 mil, apresentada a pedido do vice-prefeito Juliano Abe. A previsão é que o curso seja realizado até novembro.
 
“A Ronda Maria da Penha é um instrumento a mais para a prevenção e o combate à violência contra a mulher, porque permite combater a impunidade, fazendo valer medidas protetivas, estabelecidas pela Justiça, que impedem o agressor de se aproximar da vítima”, disse Juliano, que acompanhou o início da capacitação. “Reforçar a rede de proteção à mulher é um dos alvos da nossa gestão, tendo recebido total empenho do prefeito Marcus Melo”, completou.
 
Após o término do curso de capacitação, a Secretaria Municipal de Segurança e o Poder Judiciário farão uma análise da demanda de casos a serem acompanhados e definirão o número de viaturas e de profissionais que serão disponibilizados para o trabalho.
 
O aperfeiçoamento para os profissionais que lidam com mulheres vítimas de violência faz parte de um ciclo de trabalhos da Prefeitura para reforçar programas, ações e eventos dirigidos à proteção, amparo e bem-estar da mulher. Desde o início do ano, a administração municipal busca viabilizar a implantação de um Centro de Referência e Apoio à Vítima (Cravi) na cidade. O núcleo multiprofissional especializado oferece atendimento público gratuito a pessoas que sofreram com atos de violência. “As possibilidades de local para acolher a unidade estão sendo avaliadas e a administração municipal tenta um convênio com o Governo do Estado para custear seu funcionamento”, destaca Juliano Abe.
 
Para fortalecer as políticas públicas de proteção à mulher, a administração dispõe ainda de serviços importantes, como o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Commulher), além de parcerias com organizações sociais e universidades.
 
“A Patrulha Maria da Penha será um serviço importante que a Guarda Municipal prestará à população de Mogi, a exemplo do que já acontece com a Ronda Escolar e as ações de patrulhamento. Para isso, os profissionais estão sendo devidamente capacitados, uma vez que este trabalho de prevenção e combate à violência contra a mulher tem diversas peculiaridades”, lembrou o secretário municipal de Segurança, Paulo Roberto Madureira Sales.

Deixe seu Comentário

Leia Também