Envie seu vídeo(11) 97569-1373
sexta 24 de maio de 2019

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 23/05/2019
GOVERNO DO ESTADO - ICESP
PMMC MEGAMUTIRAO
PMMC GRIPE
PMMC SEGURANÇA
PMMC CAMPANHA DE AGASALHO

Prefeituras da região ficam em estado de alerta após chuvas; Mogi foi a mais castigada

Não houve registro de vítimas. A Defesa Civil de cada município segue atuando nas áreas mais prejudicadas

Por Aline Moreira - da região11 MAR 2019 - 23h33
Mogi das Cruzes foi a cidade mais prejudicada com as chuvas. Em 12 horas, foram registrados 57,6 milímetros (mm) no ponto de medição do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), localizado no bairro Ponte GrandeFoto: Divulgação
As fortes chuvas que atingiram o Alto Tietê, no último domingo e madrugada de ontem, deixaram a região em estado de alerta. Isso porque alguns locais registraram nível de pluviosidade acima da média do mês. A Defesa Civil de cada município está atuando em áreas mais prejudicadas. Até o momento, as prefeituras não registraram vítimas de afogamentos ou deslizamentos e até o momento, não houve registro de vítimas. 
 
Mogi das Cruzes foi a cidade mais prejudicada com as chuvas. Em 12 horas, foram registrados 57,6 milímetros (mm) no ponto de medição do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), localizado no bairro Ponte Grande. "Considerando esse ponto de medição, o índice de chuvas no mês de março é de 120,6 mm", informou a Prefeitura. 
 
Mesmo com os índices dentro da média, as chuvas mais intensas ocorreram na região do Oropó, com 149,0 mm registrados, e em Jundiapeba, com 101,0 mm. A Rodovia Dom Paulo Rolim Loureiro (SP-98), a Mogi-Bertioga, foi interditada durante a noite de domingo devido à queda de dois postes e quedas de árvores na região de Biritiba Ussú. A via já foi liberada. 
 
Ainda em Mogi, um muro caiu na Avenida Kaoru Hiramatsu, no Oropó, e interditou parcialmente a via. A Defesa Civil recebeu chamados de acúmulos de água nas regiões de Jundiapeba, Jardim Santos Dumont e Jardim Aeroporto. Mas, a cidade não teve nenhuma família desalojada. 
 
A Defesa Civil mogiana continua monitorando os bairros próximos à Represa do Rio Jundiaí, no Distrito de Taiaçupeba, já que a Prefeitura recebeu comunicado da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e Defesa Civil do Estado informando que a represa encontra-se em estado de alerta, com seu limite máximo operacional. "Com isso, o volume de água liberado pela represa no rio Jundiaí é maior que o normal", informa. 
 
Em Suzano, a região mais atingida pela chuva foi o Distrito de Palmeiras, que registrou pluviosidade de 128 mm nas últimas 24 horas. Já em Ferraz de Vasconcelos, a média de chuva esperada para o mês era de 50 mm. De domingo para ontem, choveu 98 mm na cidade, ou seja, acima da média estipulada. A Defesa Civil segue atendendo alguns chamados na cidade, portanto não há como precisar o número de ocorrências no município. 
 
Em Poá, o acumulado de chuvas em 24 horas foi de 90,0 mm. A Defesa Civil do município informou que o índice foi acima do esperado na cidade e, até o momento, nenhum chamado foi registrado. 
 
Já em Itaquaquecetuba, também nas últimas 24 horas, choveu cerca de 56 mm na cidade, causando alagamentos nos bairros Vila Japão, Vila Maria Augusta, Vila Sônia e Jardim Fiorello. A Defesa Civil segue atendendo as famílias e realizando monitoramento nos bairros afetados. Até o momento, não há famílias desabrigadas.

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias