terça 28 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 28/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Região

Programas habitacionais do Estado garantem 1.422 moradias para o Alto Tietê

Serão construídas 43.756 novas moradias em 231 municípios. O investimento previsto é de R$ 5,26 bilhões

30 abril 2024 - 05h00Por Fernando Barreto - da Região
O governo estadual anunciou na última sexta-feira o investimento para construção de 1.422 moradias em cinco cidades do Alto Tietê. As obras se dividem entre aquelas da CDHU, programa Vida Longa e Cartas de Crédito Imobiliário (CCI).
 
Serão 880 moradias para a CDHU, 514 para CCI e 28 para o vida longa.
 
Cidades
 
Ferraz terá mais moradias construídas, totalizando 500 unidades da CDHU.
 
Na sequência aparece Mogi e Itaquá, com 338 e 334 moradias.
 
Em Mogi serão 180 para CDHU e 158 para CCI.
 
Já em Itaquá são 200 (CDHU), 106 (CCI) e 28 (Vida Longa).
 
Fecham a lista Poá e Suzano, com 130 e 120 moradias de CCI, respectivamente.
 
Estado
 
O lançamento da campanha ocorreu na semana passada. Serão construídas 43.756 novas moradias em 231 municípios.
 
O investimento previsto é de R$ 5,26 bilhões, entre contratações diretas e aporte de subsídios para a iniciativa privada. Até o final de 2026, a meta é entregar 200 mil moradias – mais de 25 mil já foram entregues e há mais 100 mil em produção.
 
“A gente está entregando muita habitação e temos que mostrar essa conta porque é algo muito significativo. É o maior programa habitacional da história de São Paulo. Não é só o maior, é muito maior porque estamos falando de entregar seis ou sete vezes a média de moradias entregues em outras gestões. Com a provisão direta da CDHU e as cartas de crédito imobiliário que estão funcionando muito bem, a gente vai baixar o déficit habitacional depois de muito tempo”, afirmou Tarcísio.
 
A gestão estadual anunciou que a CDHU vai construir 24.309 residências, das quais 1.355 serão para o programa Vida Longa de acolhimento de idosos em situação de vulnerabilidade, em parceria com as prefeituras. Simultaneamente, o Estado vai conceder 13.312 novas Cartas de Crédito Imobiliário (CCI) pelo programa Casa Paulista.
 
A modalidade CCI permite que famílias de baixa renda negociem a compra de suas moradias diretamente com as construtoras com projetos habilitados nesta modalidade.
 
O programa Vida Longa oferece pequenos conjuntos residenciais projetados para receber idosos com renda de até dois salários mínimos, preferencialmente sós ou com vínculos familiares fragilizados, mas com autonomia. Os projetos são desenvolvidos em parceria com as prefeituras.

Deixe seu Comentário

Leia Também