domingo 19 de maio de 2024Logo Rede DS Comunicação

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 34,90 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 19/05/2024
Envie seu vídeo(11) 4745-6900
Região

Região registra 9,5 mil casamentos em 2022; Mogi lidera com 2,8 mil

Alto Tietê também registrou 4.643 divórcios. Os dados são do IBGE e foram divulgados nesta quarta-feira

28 março 2024 - 09h00Por Fernando Barreto - da Região
O Alto Tietê registrou 9.511 casamentos em 2022, conforme dados do IBGE divulgados nesta quarta-feira. A região também registrou 4.643 divórcios no mesmo período.
 
Lidera na região em casamentos a cidade de Mogi, com 2.815 e 1.381 divórcios.
 
Itaquá é a segunda cidade com 1.784 casamentos e 1.114 divórcios.
 
Suzano fecha o top três com 1.712 casamentos e 1.019 divórcios.
 
As demais cidades registram os seguintes números de casamentos e divórcios, respectivamente: Arujá (649) (210); Biritiba (166) (1); Ferraz (912) (418); Guararema (204) (77); Poá (806) (247); Salesópolis (106) (26); e Santa Isabel (357) (150).
 
Nacional
 
O número de casamentos entre pessoas do mesmo sexo realizados em cartórios de registro civil em 2022 cresceu 19,8% em relação a 2021. Com 11 mil registros, esse foi o número mais alto desde 2013, quando o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) impediu que cartórios se recusassem a celebrar esse tipo de união.
 
Os dados são das Estatísticas do Registro Civil, divulgadas nesta quarta-feira (27), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A maioria dos casamentos de pessoas do mesmo sexo ocorreu entre cônjuges femininos (60,2%).
 
Apesar do crescimento, o casamento civil de pessoas do mesmo sexo representou apenas 1,1% do total de 970 mil dos casamentos anotados no país em 2022, um aumento de 4% em relação a 2021.
 
O número total de casamentos no país apresentou tendência de queda de 2015 a 2020, com a menor quantidade de registros em 2020, devido à pandemia de covid-19. Mas, mesmo com os crescimentos em 2021 e 2022, a pesquisadora do IBGE Klívia Brayner ressalta que os números ainda não superaram a média dos cinco anos antes da pandemia (2015 a 2019). 
 
"No período anterior à pandemia, a gente tinha uma média de mais de 1 milhão de casamentos. Em 2022, a gente não conseguiu atingir esse número", afirma Klívia.
 
O IBGE também percebeu que tem havido aumento na idade dos cônjuges. Em 2000, apenas 6,3% das mulheres que se casaram tinham 40 anos ou mais, percentual que passou para 24,1% em 2022. Entre os homens, o número subiu de 10,2% para 30,4% no mesmo período. 

Deixe seu Comentário

Leia Também