Envie seu vídeo(11) 97569-1373
Sintonize nossa Rádio101.5 FMClique e ouça ao vivo
Domingo 22 de Outubro de 2017

Assine o Jornal impresso + Digital por menos de R$ 28 por mês, no plano anual.

Ler JornalAssine
Jornal Diário de Suzano - 21/10/2017
mrv

Secretário se defende: denúncia sobre tráfico de influência é falsa

Augusto de Jesus afirma que jamais solicitou, exigiu, cobrou, ou obteve qualquer vantagem da empresa AméricaNet

Por Elaine Brum - De Poá12 AGO 2017 - 11h33
“Minha conduta jamais se enquadrou na tipificação do crime de prática de tráfico de influência", disse Augusto de JesusFoto: Divulgação
O secretário de Governo de Poá, Augusto de Jesus, classificou como falsa a denúncia contra ele sobre suposto tráfico de influência. O secretário enviou uma carta à imprensa onde afirma que jamais solicitou, exigiu, cobrou, ou obteve qualquer vantagem da empresa AméricaNet. Em denúncia encaminhada à Câmara de Poá, o denunciante Elias Cassiano Silva diz que Augusto teria se aproveitado do cargo, quando foi secretário de Planejamento, para contratar a empresa citada para fornecimento de internet por meio de fibra ótica a todas as repartições públicas da Prefeitura. 
 
Na carta, o secretário afirma ainda que tanto o endereço fornecido ao Legislativo pelo denunciante quanto o título de eleitor são inexistente. Ainda ressaltou que o nome usado (Elias Cassiano da Silva) também não consta nos cadastros públicos. "Este tal denunciante indicou falsamente o número da residência com o intuito de enganar a população de Poá, os nobres vereadores do Legislativo e também o Judiciário. Para comprovar a veracidade do ora alegado, protocolei pedidos junto ao Cartório Eleitoral de Poá e também na Delegacia de Polícia, para demonstrar formalmente a inexistência do denunciante, bem como a falsidade do título de eleitor e da cédula de identidade apontados, além do endereço", destaca trecho da carta.
 
O contrato assinado entre a Prefeitura e a AméricaNet foi firmado em 2015 no valor de R$ 3,6 milhões para prestação de serviços de fornecimento de rede metropolitana (MAN), internet e telefonia fixa. O secretário afirma que jamais teve ligação com a contratação da mesma. "A empresa participou de processo de licitação, nos limites da legislação federal e municipal, e, por ter apresentado a melhor proposta, em qualidade e vantagem, saiu vencedora da licitação. Todo este processo de licitação tramitou longe dos meus olhos e sem qualquer influência de minha parte. Minha conduta jamais se enquadrou na tipificação do crime de prática de tráfico de influência", destacou o secretário.
 
Em relação ao caso, a Prefeitura havia afirmado, anteriormente, que abriria sindicância interna para apurar denúncia. 
 
A empresa
 
A AmericaNet tem um escritório na Avenida Vital Brasil, na região central da cidade. A denúncia afirma que os sócios da mesma são o genro e o filho de Augusto. O secretário explicou a situação. "O terceiro ponto a destacar, que a empresa Net.América pertencente ao meu filho Fábio Martins da Silva e ao seu sócio Antonio Carlos de Souza é uma empresa que tem por objeto a intermediação de negócios, devidamente cadastrada nos órgãos públicos e na Receita Federal. Esta empresa foi contratada pela empresa AméricaNet que a qualificou como apta à atender o plano de negócios de intermediação na cidade de Poá". Disse ainda que "a relação jurídica existente entre estas duas empresas é pautada no direito privado e não tem quaisquer vínculos com a Prefeitura". 
 
Sobre sua suposta participação na contratação da mesma reforça que não teve participação uma vez que não "tem poderes legais para gerir a empresa Net.América".

Leia Também

Últimas Notícias

Ver Últimas Notícias